Free Culture Quotes

Rate this book
Clear rating
Free Culture: The Nature and Future of Creativity Free Culture: The Nature and Future of Creativity by Lawrence Lessig
2,614 ratings, 4.11 average rating, 209 reviews
Open Preview
Free Culture Quotes Showing 1-30 of 39
“Every generation welcomes the pirates from the last.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“That tradition is the way our culture gets made. As I explain in the pages that follow, we come from a tradition of "free culture"—not "free" as in "free beer" (to borrow a phrase from the founder of the freesoftware movement[2] ), but "free" as in "free speech," "free markets," "free trade," "free enterprise," "free will," and "free elections." A free culture supports and protects creators and innovators. It does this directly by granting intellectual property rights. But it does so indirectly by limiting the reach of those rights, to guarantee that follow-on creators and innovators remain as free as possible from the control of the past. A free culture is not a culture without property, just as a free market is not a market in which everything is free. The opposite of a free culture is a "permission culture"—a culture in which creators get to create only with the permission of the powerful, or of creators from the past.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“If “piracy means using the creative property of others without their permission- if “if value, then right” is true- then the history of the content industry is a history of piracy. Every important sector of “big media” today- film, records, radio, and cable TV-was born of a kind of piracy so defined. The consistent story is how last generation’s pirates join this generation’s country club-until now.”
Lawrence lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“If the law imposed the death penalty for parking tickets, we’d not only have fewer parking tickets, we’d also have much
less driving.

Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Overregulation stifles creativity. It smothers innovation. It gives dinosaurs a veto over the future. It wastes the extraordinary opportunity for a democratic creativity that digital technology enables.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Overregulation corrupts citizens and weakens the rule of law.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“On December 17, 1903, on a windy North Carolina beach for just shy of one hundred seconds, the Wright brothers demonstrated that a heavier-than-air, self-propelled vehicle could fly. The moment was electric and its importance widely understood. Almost immediately, there was an explosion of interest in this newfound technology of manned flight, and a gaggle of innovators began to build upon it.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“[The Internet] affects democracy... As more and more citizens express what they think, and defend it in writing, that will change the way people understand public issues. It is easy to be wrong and misguided in your head. It is harder when the product of your mind can be criticized by others. Of course, it is a rare human who admits that he has been persuaded that he is wrong. But it is even rarer for a human to ignore when he has been proven wrong. The writing of ideas, arguments, and criticism improves democracy.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“If “piracy” means using value from someone else’s creative property without permission from that creator–as it is increasingly described today – then every industry affected by copyright today is the product and beneficiary of a certain kind of piracy. Film, records, radio, cable TV… Extremists in this debate love to say “You wouldn’t go into Barnes & Noble and take a book off of the shelf without paying; why should it be any different with online music?” The difference is, of course, that when you take a book from Barnes & Noble, it has one less book to sell. By contrast, when you take an MP3 from a computer network, there is not one less CD that can be sold. The physics of piracy of the intangible are different from the physics of piracy of the tangible.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Technology means you can now do amazing things easily; but you couldn't easily do them legally.”
Lawrence lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Economics itself offers a parallel that explains why this integration affects creativity. Clay Christensen has written about the “Innovator’s Dilemma”: the fact that large traditional firms find it rational to ignore new, breakthrough technologies that compete with their core business. The same analysis could help explain why large, traditional media companies will undermine our tradition of free culture. The property right that is copyright is no longer the balanced right that it was, or was intended to be. The property right that is copyright has become unbalanced, tilted toward an extreme. The opportunity to create and transform becomes weakened in a world in which creation requires permission and creativity must check with a lawyer.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Free culture depends upon vibrant competition. Yet the effect of the law today is to stifle just this kind of competition. The effect is to produce an over-regulated culture, just as the effect of too much control in the market is to produce an over-regulated-regulated market.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“But as well as copy-shop piracy, there is another kind of "taking" that is more directly related to the Internet. That taking, too, seems wrong to many, and it is wrong much of the time. Before we paint this taking "piracy," however, we should understand its nature a bit more. For the harm of this taking is significantly more ambiguous than outright copying, and the law should account for that ambiguity, as it has so often done in the past.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“It is said that those who fail to remember history are doomed to repeat it. That’s not quite correct. We all forget history. The key is whether we have a way to go back to rediscover what we forget. More directly, the key is whether an objective past can keep us honest.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“The obvious point of Conrad’s cartoon is the weirdness of a world where guns are legal, despite the harm they can do, while VCRs (and circumvention technologies) are illegal. Flash: No one ever died from copyright circumvention. Yet the law bans circumvention technologies absolutely, despite the potential that they might do some good, but permits guns, despite the obvious and tragic harm they do.”
Lawrence Lessig, Free Culture: The Nature and Future of Creativity
“Esse protecionismo não visa proteger os artistas. Na verdade, esse é um protecionismo que visa proteger certas formas de negócio. As corporações ameaçadas pelo potencial da Internet em mudar a forma como tanto a cultura comercial quanto a não-comercial é feita e compartilhada se uniram para induzir os legisladores a usarem a lei para as protegerem. É o caso da RCA contra Armstrong; é o sonho dos Causbys.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Esse protecionismo não visa proteger os artistas. Na verdade, esse é um protecionismo que visa proteger certas formas de negócio. As corporações ameaçadas pelo potencial da Internet em mudar a forma como tanto a cultura comercial quanto a não-comercial é feita e compartilhada se uniram para induzir os legisladores a usarem a lei para as protegerem. É o caso da RCA contra Armstrong; é o sonho dos Causbys.
A Internet liberou uma incrível possibilidade para muitos de participarem do processo de construírem e cultivarem uma cultura que tenha um alcance maior que as fronteiras locais. Esse poder mudou o mercado ao permitir a criação e cultivação de cultura em qualquer lugar, e essa mudança ameaça as indústrias de conteúdo estabelecidas. A Internet representa para as indústrias que criavam e distribuíam conteúdo no século 20 o que o rádio FM representava para o rádio AM, ou o que o caminhão representava para a indústria das ferrovias no final do século 19: o começo do fim, ou ao menos uma transformação substancial.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“A "guerra" que foi levantada contra as tecnologias da Internei o que o presidente da Motion Picture Association of America (MPAA)6 Jack Valenti chamou de "sua própria Guerra Contra o Terror" [13] foi forjada como uma batalha pelo direito legal de respeito à propriedade. Para saber que lado assumir nessa guerra, muitos pensam que precisamos decidir apenas se somos a favor ou não da propriedade privada.
Se essas fossem as verdadeiras escolhas, então eu provavelmente estaria do lado de Jack Valenti e da indústria do conteúdo. Eu também acredito no direito à propriedade privada, e especialmente na importância ao que o Sr. Valenti carinhosamente chama de "propriedade criativa". Eu acredito que a "pirataria" é errada, e que a lei, propriamente ajustada, deveria punir a "pirataria", seja ela dentro ou fora da Internet.
Mas tais crenças simplistas mascaram uma questão ainda mais fundamental e uma mudança ainda mais dramática. Meu medo é que, a não ser que percebamos essa mudança, a guerra para livrar o mundo dos "piratas da Internei" irá também livrar nossa cultura de valores que são fundamentais à nossa tradição desde seu início.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“E assim, quando os geeks e os tecnólogos defendem as tecnologias dos novos Armstrongs ou irmãos Wright, muitos de nós nos tornamos simplesmente hostis. O bom senso não fica revoltado. Diferentemente como no caso dos coitados dos Causbys, o bom senso está do lado dos donos das propriedades nessa guerra. Diferentemente dos afortunados irmãos Wright, a Internet não inspirou uma revolução do nosso lado.
A minha esperança é trazer o bom senso de volta ao nosso lado. Estou cada vez mais impressionado com o poder de tal idéia de propriedade intelectual, e mais ainda, com seu poder para bloquear o pensamento crítico feito contra os poderosos. Jamais houve em nossa história um período em que tanto da nossa "cultura" tinha um "dono" como atualmente. E nunca antes houve um período aonde a concentração de poder para controlar os usos da cultura foi tão inquestionavelmente aceita como o é atualmente.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“enquanto a Internet criou algo completamente novo e maravilhoso, nosso governo, pressionado pelos grandes meios de comunicação, reagiram dizendo que "essa coisa nova" estava destruindo algo muito velho. Ao invés de entender as mudanças que a Internet pode provocar, e ao invés de dar tempo para permitir ao "bom senso" reagir da melhor maneira possível, nós estamos permitindo àqueles mais ameaçados por tais mudanças que utilizem sua força”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Atualmente nós estamos no meio de outra "guerra" contra a "pirataria". A Internet provocou essa guerra. O compartilhamento de arquivos através de sistemas peer-to-peer (P2P)7 está entre as formas mais eficientes de tecnologia permitidas pela Internet. Usando inteligência distribuída, sistemas de P2P facilitam a distribuição de conteúdo de uma maneira que à uma geração atrás era simplesmente inimaginável.
Essa eficiência não respeita as linhas tradicionais do copyright . A rede não faz discriminação entre o compartilhamento de conteúdo com ou sem direitos autorais. Desse modo existe uma grande quantidade de compartilhamento de conteúdo com direitos autorais. Esse compartilhamento, por sua vez, excitou a guerra, com os donos de direitos autorais temendo que o compartilhamento viesse "tomar do autor o seu sustento".”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Mas apenas eleições não fazem uma democracia. Democracia quer dizer poder para o povo, mas poder quer dizer algo mais que apenas eleições. Em nossa tradição isso também significa controle através de críticas racionais.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Nós, a mais poderosa democracia do mundo, criamos normas rígidas contra a discussão política. É OK falar de política com pessoas que concordam com você. Mas é grosseiro falar de política com pessoas que discordam de você. O discurso político tornou-se isolado, e discurso isolado torna-se mais radical. [42] Nós falamos o que nossos amigos esperam ouvir, e ouvimos muito pouco além do que eles falam.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Mas além da arquitetura, os blogs também resolveram o problema das regras. Não existe (ainda) nenhuma regra no meio dos blogs que diga que não deve-se falar de política. Na verdade, o meio está repleto de discussões políticas, de direita e de esquerda. Alguns dos mais populares blogs são conservadores, outros liberais, mas há blogs de todas as tendências políticas, e mesmo blogs em que não-políticos falam de política quando a situação torna interessante.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Esse ciclo diferenciado é possível porque as pressões comerciais que existem em outros meios não existem nos blogs. A televisão e os jornais são entidades comerciais. Elas precisam trabalhar para manter a atenção. Se perdem leitores, perdem faturamento. Como tubarões, precisam nadar atrás da próxima "notícia quente".
Mas os bloggers não possuem amarras semelhantes. Eles podem molestar, eles podem se focar, eles podem ficar sérios. Se uni blogger específico escreve algo realmente interessante, mais e mais pessoas irão criar lirnks àquela história. E quando o número de links para uma certa história aumentar, ela sobre no ranking das histórias.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“Existe um outro motivo para o fato dos blogs terem um ciclo de vida diferente dos principais meios de comunicação. Como Dave Winer, um dos pais desse movimento e um desenvolvedor de software por várias décadas, me disse, uma outra diferença é a ausência de "conflitos de interesses" provocados por motivos financeiros. "Eu penso que você tem que remover esse conflito de interesses" do jornalismo, Winer me disse. "Um jornalista amador simplesmente não tem tal conflito de interesses, ou o conflito de interesses é tão facilmente detectável que você pode o remover do caminho facilmente".”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“E ele permite aos leitores "triangularem a verdade", como Winer definiu. Os blogs, Winer afirma, são "uma comunicação direta do constituinte, sem interferências de intermediários" com todos os benefícios e custos envolvidos.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“A defesa de idéias, a argumentação e a crítica melhoram a democracia.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“As tecnologias digitais criam o ambiente propício para uma nova forma de bricolagem, ou "colagem livre", como Brown chama-a. Muitos podem adicionar ou transformar as criações de outros.”
Lawrence Lessig, Cultura Livre
“As tecnologias digitais criam o ambiente propício para uma nova forma de bricolagem, ou "colagem livre", como Brown chama-a. Muitos podem adicionar ou transformar as criações de outros.
O melhor exemplo de larga escala desse tipo de criação até agora é o software livre ou software de código aberto (free software/open-source software FS/OSS). O FS/OSS é um tipo de software no qual o código fonte3 é compartilhado. Qualquer um pode obter uma cópia da tecnologia que permite que os programas FS/OSS funciona. E qualquer um que tenha interesse em aprender como uma certa tecnologia FS/OSS funciona pode brincar com o código.
Essa oportunidade cria uma "plataforma de aprendizado completamente nova", como descreve Brown. "Assim que você começa a trabalhar nela, você (...) libera uma colagem livre na comunidade, de forma que outras pessoas possam olhar no seu código, brincar com ele, testá-lo, verem o que podem fazer para o melhorar". Cada atividade dessas é uma forma de aprendizado. "O código aberto tornou-se uma plataforma importante de aprendizado".”
Lawrence Lessig, Cultura Livre

« previous 1