Nerds & Encrenqueiros discussion

Children of Time (Children of Time, #1)
This topic is about Children of Time
26 views
Leitura Coletiva > Children of Time (Set/2018)

Comments Showing 1-7 of 7 (7 new)    post a comment »
dateDown arrow    newest »

message 1: by Lanko (last edited Sep 15, 2018 10:02AM) (new) - rated it 5 stars

Lanko | 218 comments Mod
E aê, pessoal do N&E, tudo bom?

Primeiramente, sou o Lanko, membro antigo e agora também um moderador do grupo. Com o N&E crescendo tanto, é preciso mais gente pra ajudar com as tarefas do grupo, e por isso aqui estou. Prazer!

Com esses temas de crescimento, planos e futuro, o livro escolhido foi Children of Time do Adrian Tchaikovsky.

Em Children of Time o grupo de últimos humanos sobreviventes da Terra viajam a bordo da nave Gilgamesh em busca de um novo planeta habitável.

Eventualmente eles encontram um planeta com condições muito similares as da Terra e começam a planejar a recriação da nossa civilização.

Mas como eles vão descobrir, o planeta já é habitado.

Pela premissa de duas civilizações totalmente aliens uma a outra se encontrando e vendo a própria sobrevivência em risco, pode até parecer um livro de ação, mas pelas reações ao livro, não é.

E a questão central do livro é justamente essa: como as duas civilizações vão resolver o problema.

Adrian Tchaikovsky é um autor britânico, que estudou psicologia e zoologia (evidenciado pelo fato do livro ter aranhas inteligentes!) e juntou tudo isso com ficção científica.

Pra quem está interessado no nosso Reading Challenge anual, Children of Time cumpre os seguintes requisitos (que eu saiba apenas lendo a premissa, talvez também cumpra outros que podem ser adicionados depois):

14 - Livro com nota 5* por um dos moderadores do N&E =p
18 - Livro da Bookshelf do Grupo
20 - Distopia, Cyperpunk ou Pós-Apocalíptico
23 - Space Opera

Então é isso, pessoal. Espero que curtam a escolha do mês e comentem o que acharam da história!


Lanko | 218 comments Mod
Comecei ontem o Children of Time e hoje já estou em 21%, mal vendo o tempo passar.

Os capítulos são curtos (detesto aqueles capítulos com 50+ páginas) o que me permite ler ao longo de várias pausas e absorver melhor o que acontece. Coisa difícil de fazer quando os capítulos são muito longos, e nada pior do que interromper uma leitura no meio de um capítulo.

Bom, basicamente um grupo encontra um planeta habitável e decide colocar macacos lá infectados com um nanovírus que vai gradativamente aumentando a inteligência e capacidades deles, assim como o homem evoluiu ao longo do tempo, só que mais rápido.

Algumas coisas dão errado e os macacos nem chegam ao planeta, mas o vírus sim. O nanovírus só tinha como alvo vertebrados, e nunca tinham pensando no que aconteceria se por acaso funcionasse em outras espécies.

E aí entram aranhas, formigas, peixes e sabe-se lá o que mais, que ao longo de séculos/milênios vão evoluindo como os seres humanos evoluíram na Terra, desenvolvendo consciência e habilidades sociais, tudo junto às suas próprias características (e limitações) únicas.

Formigas que aprendem a manejar madeira e até metal. Aranhas fazendeiras.

Está sendo muito interessante ler a evolução "humana" do ponto de vista de... aranhas.

E enquanto isso os últimos sobreviventes da humanidade estão eventualmente chegando no tal planeta.


message 3: by Lanko (last edited Sep 15, 2018 10:20AM) (new) - rated it 5 stars

Lanko | 218 comments Mod
Terminei de ler Children of Time.

Fui totalmente surpreendido. Eu não esperava que o autor tivesse sido tão ambicioso. Eu não tinha reparado antes, mas o livro foi o vencedor do Arthur C. Clarke de 2015. Tá explicado.

A evolução das espécies do planeta, o desenvolvimento (e queda) de culturas, normais societais, filosofias e tecnologias, ainda mais vistas pelo ponto de vista de uma espécia praticamente alien.

E não só essa espécie, como os próprios humanos. Eles praticamente vivem dentro da nave, e embora no começo esteja tudo "normal", logo novas gerações surgem com a missão de encontrar um novo lar pra humanidade, consertar a nave e etc. Até nesse pequeno "ecosistema" algumas coisas vão mudar radicalmente, já que muitos nasceram na nave e tem que conviver com outras pessoas que, pra eles, passam a ser quase míticas.

E tudo isso ao longo de milhares e milhares de anos, de várias gerações. O problema seria então se manter conectado aos personagens com essa passagem de tempo absurdo, mas ele resolveu isso de uma maneira muito criativa e eficiente, tanto pros humanos como pros aliens.

Ele ainda é formado em zoologia e biologia, e a atenção aos detalhes é muito rica, e o melhor de tudo, adiciona a história sem ser aquela coisa super técnica, confusa e tediosa que é problema em varios sci-fi.

Alguns eventos e linhas de pensamento me surpreenderam fundo.

Também tem ótimos temas sobre normais societais e até funções de gênero. Digo isso porque vejo vários autores também abordando o tema, mas apesar das boas intenções, muitos executam de uma maneira meio...desastrada, digamos. Às vezes parece que uns forçam a barra demais e outros sobem em cima do banquinho pra "pregar a mensagem".
Aqui não, tudo ficou muito natural (até pela própria natureza da espécie alien), como na minha opinião, usou muito mais empatia.

E embora seja um standalone, descobri que vai ter uma sequel. Mas só vai ser lançada em maio do ano que vem. É simplesmente tempo demais, eu quero agora!


Isabela (absinto) | 39 comments Gente, eu estou lendo ainda. To em perto dos 30% ainda.
Estou achando a leitura muito legal, porém estou num conflito: gosto muito mais dos capítulos em que não aparecem humanos do que dos capítulos com eles. Mais alguém nesse mesmo barco? Hahahah


Lanko | 218 comments Mod
Isabela wrote: "Gente, eu estou lendo ainda. To em perto dos 30% ainda.
Estou achando a leitura muito legal, porém estou num conflito: gosto muito mais dos capítulos em que não aparecem humanos do que dos capítulo..."


Hahaha, acho que passei pela mesma situação no começo, mas depois a coisa vai ficar muito boa com eles também.


Thiago (thiago7) | 389 comments Mod
Comecei ontem. Primeiro capítulo muito bom, me prendeu logo de cara. Lembrou-me muito dos livros da C.J. Cherryh, especialmente os "Union Side".

Também estou gostando mais dos chaps dos não humanos até aqui, mas estou bem no começo.


message 7: by Raquel (last edited Nov 08, 2018 04:41PM) (new) - rated it 3 stars

Raquel V (raquelvcc) | 498 comments Mod
Acabei de me dar conta que tinha terminado esse livro e não tinha vindo aqui comentar.

Achei a ideia do livro incrível, fantástica, brilhante, completamente inovadora. Sempre pensei que, se houverem raças alienígenas, provavelmente elas seriam tão diferentes de nós que mal conseguiríamos perceber se elas são inteligentes e autoconscientes ou não. Mas aqui esse pensamento foi elevado a um patamar incrível. Muita criatividade para criar isso tudo.

Tendo dito isso, achei a maior parte da história, apesar de interessante, muito chata e muito muito longa. Falei isso na minha resenha, mas não consegui me apegar ou sequer me interessar sobre nenhum humano. O ser humano mais interessante era a Dra. Kern, que na minha opinião foi muito pouco explorada. Os outros humanos foram muito "meh" pra mim. A Portia, a Bianca e o Fabian eram bem mais interessantes, e eu queria genuinamente saber o que aconteceria com eles. Mas achei que a história foi contada de uma forma estranha, meio mecânica, sei lá... criava esse paradoxo "chato-interessante" o tempo todo. Ouvi o livro todo em velocidade 2x e ainda ficava querendo que as coisas andassem mais rápido.

Lanko wrote: "Também tem ótimos temas sobre normais societais e até funções de gênero. Digo isso porque vejo vários autores também abordando o tema, mas apesar das boas intenções, muitos executam de uma maneira meio...desastrada, digamos. Às vezes parece que uns forçam a barra demais e outros sobem em cima do banquinho pra "pregar a mensagem".
Aqui não, tudo ficou muito natural (até pela própria natureza da espécie alien), como na minha opinião, usou muito mais empatia."


Concordo plenamente, e para mim isso foi uma das coisas mais brilhantes do livro. Mostrar como questões de gênero estão impregnadas na cultura de maneira orgânica foi uma sacada de mestre.

(view spoiler) Enfim, esse final completamente explodiu minha cabeça!

Gostei muito de ter lido o livro, muito mesmo - apesar de que quando eu penso nele eu me lembro de uma sensação de tédio muito vívida.


back to top