LITERARY HURRICANE discussion

note: This topic has been closed to new comments.
13 views
Geral do clube e informações > Sugestões para Setembro - Livro Nacional Contemporâneo

Comments Showing 1-5 of 5 (5 new)    post a comment »
dateDown arrow    newest »

message 1: by Raquel (last edited Aug 01, 2018 09:00PM) (new)

Raquel V (raquelvcc) | 444 comments Olar furacões lindos!

No nosso mês da independência vamos ler, claro, mais um livro brasileiro. Mas resolvemos diferenciar e, este ano, estamos pedindo sugestões para livros brasileiros contemporâneos, ou seja, livros que tenham sido escritos e se passem neste século. Você pode sugerir quantos livros quiser por aqui ou pelo Facebook até dia 12 deste mês!


message 2: by André (last edited Aug 05, 2018 10:52AM) (new)

André Caniato (vardamir) | 421 comments Pra quem precisa de ideias, vou deixar aqui essa lista bem bacana: https://www.goodreads.com/list/show/1...

--

Minhas indicações:

O amor dos homens avulsos - Victor Heringer
Sinopse: Neste romance breve, delicado e de leitura irresistível, o jovem Victor Heringer se coloca como um dos narradores mais raros e interessantes da nossa literatura.
No calor de um subúrbio carioca, um garoto cresce em meio a partidas de futebol, conversas sobre terreiros e o passado de seu pai, um médico na década de 1970. Na adolescência, ele recebe em casa um menino apadrinhado de seu pai, que morre tempos depois num episódio de agressão. O garoto cresce e esse passado o assombra diariamente, ditando os rumos de sua vida. Essa história, aparentemente banal, é desenvolvida com maestria ficcional e grandeza quase machadiana por Victor Heringer. Dono de uma prosa fluente e maleável, além de uma visão derrisória da vida, o autor demonstra pleno domínio na construção de cenas e personagens. E emociona o leitor com sua delicada percepção da realidade.

Sobre garotos que beijam garotos - Enrique Coimbra
Sinopse: Por ser um jovem carioca gay com fama de desapegado, não demora para que Enzo seja cantado pelo ficante heterossexual da melhor amiga e se perceba como vítima nas mãos de um conquistador problemático que parece não se importar com ninguém além dele mesmo.
​Afundando numa guerra existencial para entender o porquê de estar se apaixonando por alguém tão parecido com os piores aspectos de si numa montanha-russa afetiva e sexual, Enzo revisita o que é o amor e, decididamente, o que não é.

Carvão animal - Ana Paula Maia
Sinopse: Insólita e provocante, a literatura de Ana Paula Maia pulsa com a intensidade do possível, do real. Suas palavras moldam uma localidade universal, onde os infernos particulares se descortinam nos fragmentos de diálogos. Nas reflexões sobre vida e morte. Amizade e hipocrisia. No olhar mortiço dos homens-besta, sobrecarregados pelo fardo da própria existência. Pelo peso da desesperança, da falta de perspectiva.
Seus heróis são trabalhadores sempre à margem da sociedade, presos na ambigüidade das próprias funções, condicionados pelas próprias escolhas. Marginalizados por elas. Ernesto Wesley, Ronivon, Edgar Wilson. Eles estão por toda parte. O que os torna únicos é a abordagem da autora. A capacidade de filtrar cada realidade e exibir, nua e crua, a motivação de personagens amorais, mas quase líricos.
Com muito sangue, violência e estilo, Ana Paula Maia lança o olhar ao outro, e extrai, de cada um, sua qualidade mais humana. E assim subverte qualquer atitude condenável em feito redentor. Mas não há luz nesse heroísmo. Também não há trevas. É um momento repleto de cinzas, de um tom intermediário, suspenso no tempo. Uma atmosfera claustrofóbica, que envolve e hipnotiza o leitor.
Como um soco no estômago, Carvão Animal nos rouba o ar. Penetra na carne, ossos e tendões. E nos coloca frente a frente com uma realidade muitas vezes despida de dignidade. Uma realidade não calma ou sonolenta. Mas que despedaça e desfigura. Como a morte que ronda esses personagens. É impossível desviar o olhar.

Luzes de emergência se acenderão automaticamente - Luisa Geisler
Sinopse: De certa forma, um relacionamento são duas pessoas que se recusam a desistir uma da outra. Duas pessoas igualmente ferradas, claro. É o que escreve Henrique, ou Ike, em cadernos que carrega consigo para todos os lugares. São cadernos em que fala de seu dia a dia, dos amigos, e de sonhos difusos que ele guarda para o futuro.
Henrique mora nos subúrbios de Porto Alegre com os pais, e é um garoto que se considera, em todos os aspectos, uma pessoa normal. Está na faculdade, trabalha num posto de gasolina em meio período, tem uma namorada. Fala pouco, é introspectivo, mas cultiva amizades sólidas. Tudo muda quando seu melhor amigo, Gabriel, bate a cabeça num acidente banal e, pouco tempo depois, é hospitalizado em coma. Após uma cirurgia de emergência, não há muito que fazer por ele, dizem os médicos. Apenas esperar. E Ike, os pais de Gabriel, o irmão mais velho e os amigos aguardam o menor sinal de melhora.
É então que, perto do Natal, Ike começa a escrever. São cartas em sequência ao amigo, como uma conversa, onde relata o que se passa na ausência do amigo. Para "quando tu acordar", diz ele. "Queria saber quando tu ia acordar, como tu tá, o que tem acontecido, se tem algo que dê pra fazer", escreve Henrique. As cartas são entremeadas por narrativas curtas, que dão a elas uma dimensão adicional: até que ponto Ike sabe realmente o que acontece à sua volta? O que pensam os outros?


message 3: by João (last edited Aug 05, 2018 01:49PM) (new)

João  Lucas  Normandes (joaolnormandes) Para me redimir do mês passado, que disse que ia sugerir e acabei não o fazendo kkkk, eu indico:

Um poema de guerra:

O livro tem como pano de fundo um período no Brasil que seria mais ou menos num futuro bem próximo. Tava uma bagunça política que acaba resultando numa eleição, um novo tipo de governo. Grupos separatistas ganham corpo (ex de um grupo: aqueles que defendem a separação do Sul do Brasil; ou de SP do restante do país). Esses grupos, ao tomarem forma, podem resultar numa guerra civil, e os personagens principais estão no meio disso.



Sinopse:

Tudo que Gustavo desejava era um emprego, mas não de soldado. Júlia, por outro lado, ansiava encontrar os pais biológicos, não envolver-se na revolução. Quis o destino entrelaçar suas vidas para o bem ou para o mal. Poderia um amor improvável e juvenil sobrepujar um conflito armado? Quem ganha e quem perde com a divisão do país? Na guerra não há vencedores, somente vencidos.

Por ser num mês de independência do Brasil e também por todo esse período de crise política, econômica, e até educacional que estamos passando, é bem interessante ler algo de um autor contemporâneo, e que retrata um Brasil bem próximo.


Eu vi estas informações todas num vídeo da Tatiana Feltrin e fiquei muito animado para ler, e gostaria de compartilhar com vocês, caso gostem.

O link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=w_dHX...


message 4: by Paula (new)

Paula Cruz (paulacruz) | 141 comments André wrote: "Pra quem precisa de ideias, vou deixar aqui essa lista bem bacana: https://www.goodreads.com/list/show/1...

--

Minhas indicaçõ..."


AAAAAAAAAAA ESSE DA LUISA É MUITO MUITO TOP!!!!!!!!


message 5: by André (new)

André Caniato (vardamir) | 421 comments Com um grande atraso, a enquete vai ser relâmpago! Fica no ar até dia 31 e pode ser acessada aqui.


back to top
This topic has been frozen by the moderator. No new comments can be posted.