Alina's Reviews > Caídos da Mesma Árvore

Caídos da Mesma Árvore by Carlos Porfírio
Rate this book
Clear rating

by
10125344
's review

really liked it
bookshelves: autores-lusófonos

Este livro surpreendeu-me muito.
Tinha-o comprado por impulso há cerca de dois anos, e ainda não lhe tinha pegado. Andei à procura de opiniões sobre ele mas não encontrava nada que me fizesse querer lê-lo nem colocá-lo de parte; todo ele era para mim um ponto de interrogação que eu tinha receio de pegar.
Devo dizer que fui uma idiota por ter esperado tanto tempo.

A história é sempre contada na primeira pessoa e passa-se em Portugal, o que para mim (sendo portuguesa) faz com que a história tenha um tom de ficção muito próximo da realidade em que vivo. Os lugares são familiares, as situações (antes do encontro do grupo de amigos com o gangue) também, o companheirismo idem aspas.

Admito que no início ainda fiquei com dúvidas: começa pela perspetiva da personagem principal, Mónica Francesco, nos seus anos de dramas adolescentes. No entanto, numa mudança de capítulo, todo o discurso e ambiente muda ao passarmos para a perspetiva de Honório, o cabecilha do grupo de reclusos que consegue fugir da prisão, tal como a mudança de tom na perspetiva de uma Mónica subitamente adulta e a comemorar os seus 33 anos. Foi nessa altura que me apercebi que o livro era realmente capaz de me surpreender.

Adorei todo o mistério que envolvia Honório Farinha, a começar pelo pouco que se falava do seu passado, a sua atitude perante os outros, a sua inteligência fora do comum e os seus ideais (ou falta deles, dependendo da perspetiva). Todas as suas linhas de pensamento me fascinaram, das mais corriqueiras a alusões filosóficas em toda a linha - daí se ter tornado rapidamente a minha personagem favorita.

Por vezes no mesmo capítulo há mudanças de perspetiva tão subtis que precisamos de prestar atenção às pequenas nuances para percebermos quem está a "falar" em determinado momento; mas nada que não se siga bem.
A única razão de não dar as cinco estrelas ao livro é o clímax. O que deveria ter sido, na minha perspetiva, o ponto alto da história, tornou-se numa situação quase feita à pressa (sem necessidade nenhuma) apresentada numa página mal cheia (quando deveria ter sido tratada no mínimo dos mínimos em duas). Por outro lado, o autor dá um "final" a todas as personagens, não ficando nenhuma por contemplar.
Com pontos fortes e fracos, esta história mostra-nos que é precisamente nas situações mais difíceis que a nossa visão do mundo muda drasticamente e começamos a pensar de diversos prismas para o estranho mundo que nos rodeia. Outro ponto fulcral é toda a visão de como as nossas experiências nos moldam, tentar perceber o homem por detrás da besta e a besta dentro do homem - dentro de nós próprios.
Como alguém disse, o mundo não se divide apenas em preto e branco, mas em vários tons de cinzento.

Afinal, somos todos "caídos da mesma árvore".

Uma pérola nas estantes dos autores portugueses.
2 likes · flag

Sign into Goodreads to see if any of your friends have read Caídos da Mesma Árvore.
Sign In »

Reading Progress

September 7, 2013 – Shelved
September 7, 2013 – Shelved as: to-read
March 29, 2014 – Started Reading
March 29, 2014 –
page 81
36.16%
March 31, 2014 – Finished Reading
April 1, 2014 – Shelved as: autores-lusófonos

No comments have been added yet.