Leandro Franz's Reviews > Atenção.

Atenção. by Alex Castro
Rate this book
Clear rating

by
14215661
's review

it was amazing

Uma ótima introdução ao budismo que importa

“Assim como uma espada não consegue cortar sua própria lâmina, assim como um acrobata não consegue subir em seus próprios ombros, a mente não consegue enxergar-se.” Guia do caminho do Bodisatva, de Shantideva (IX, 17-18).

O livro começa desconstruindo as relações externas que temos com outras pessoas, com desconhecidos ou com amigos e família. Depois, desconstrói nossa relação com objetos e produtos que compramos, com lugares que gostamos, com imagens, sons até com os conceitos de tempo e espaço.

Aí, quando estamos já repensando diversas crenças, o livro vem e desconstrói nossos próprios pensamentos e intenções.

Por fim, quando parece restar apenas nossa própria individualidade para nos dar algum conforto, as práticas sugeridas pelo livro também lhe dão uma rasteira.

E ficamos com o nada.

Sem passado, sem futuro, sem relações externas, sem loucuras internas, sem um Eu pra analisar tudo isso, só resta a observação e o título do livro: atenção ao presente. E isso é o suficiente.

A linha filosófica é o budismo, mas o "de raiz". Não aquele da moda, de best-sellers e gurus, da busca por autoconhecimento e autoajuda. O "budismo raiz" justamente desconstrói o que é conhecimento, desconstrói o que é ego (auto), desconstroi a busca. É o que se contenta com o nada. E isso já é o suficiente.

Resumindo, é daqueles livros ótimos de dar no amigo secreto e depois conferir, na véspera do réveillon, se o amigo perdeu a noção das certezas e promessas que imaginava para o ano novo. É daqueles presentes que bagunçam e, por isso, geram necessidade de reconstruções.

Só assim o budismo deixa de ser fleumático e se torna engajado: "De um modo ou de outro, julgamos as outras pessoas por suas ações, mas queremos ser julgadas por nossas intenções."

Com o perigo de impactar politicamente a cabeça de quem lê, o livro também é uma grande pesquisa bem organizada e ilustrada por parábolas que aproximam o tema, que simplificam. Por exemplo, e para finalizar, uma parábola que resume o sentimento de quem termina a leitura:

"Era uma vez uma boneca de sal. Após peregrinar por terras áridas, descobriu o mar e não conseguiu compreendê-lo. Perguntou ao mar: — Quem é você? E o mar respondeu: — Sou o mar. — Mas o que é o mar? E o mar respondeu: — O mar sou eu. — Não entendo — disse a boneca de sal —, mas gostaria muito de entender. Como faço? O mar respondeu: — Encoste em mim. Então, a boneca de sal timidamente encostou no mar com as pontas dos dedos do pé. Sentiu que começava a entender, mas também sentiu que acabara de perder o pé, dissolvido na água. — Mar, o que você fez?! E o mar respondeu: — Eu te dei um pouco de entendimento e você me deu um pouco de você. Para entender tudo, é necessário dar tudo. Ansiosa pelo conhecimento, mas também com medo, a boneca de sal começou a entrar no mar. Quanto mais entrava, e quanto mais se dissolvia, mais compreendia a enormidade do mar e da natureza, mas ainda faltava alguma coisa: — Afinal, o que é o mar? Então, foi coberta por uma onda. Em seu último momento de consciência individual, antes de diluir-se completamente na água, a boneca ainda conseguiu dizer: — O mar… o mar sou eu!"
2 likes · flag

Sign into Goodreads to see if any of your friends have read Atenção..
Sign In »

Reading Progress

Finished Reading
April 1, 2019 – Shelved

No comments have been added yet.