Portuguese Quotes

Quotes tagged as "portuguese" Showing 1-30 of 76
Mikhail Bulgakov
“- Habitualmente não passamos certificados - afirmou o gato, carrancudo. - Mas para si, abrimos uma excepção.
E antes que Nikolai Ivanovitch tivesse tempo de se recompor, Hella, ainda nua, já estava sentada à máquina de escrever e o gato ditava-lhe:
- Pelo presente certifico que o seu portador, Nikolai Ivanovitch, passou a noite indicada num baile em casa de Satã, tendo sido recrutado como meio de transporte... Hella, abre parênteses! Entre parênteses escreve: «porco». Assinado, Behemot.”
Mikhail Bugakov

Mário Cesariny
“Dorme, dorme, meu menino
Dorme no Mar dos Sargaços
Que mais vale o mar a pino
Que as serpentes nos meus braços.”
Mário Cesariny

“Fortunately she stopped the servants before the platters of cold meats left the house, sending them back to the kitchen where she had the ham and beef placed on separate plates, for the Hindi Christians despite their conversion would not eat cow and the Muslims would not eat pig. The Portuguese, of course, ate anything.”
John Speed (The Temple Dancer), The Temple Dancer

H.L. Mencken
“There is reinforcement in such familiar back-formations as Chinee from Chinese, Portugee from Portuguese.”
H. L. Mencken

W.G. Sebald
“É um vazio todo peculiar que surge quando, numa cidade estranha, a pessoa disca números de telefone em vão. Quando ninguém atende, é uma decepção de alcance transcendente, como se esses números aleatórios fossem uma questão de vida ou morte.”
Winfried Georg Sebald, Vertigo

Raoul Vaneigem
“O trabalho foi aquilo que o homem achou de melhor para nada fazer da sua vida.”
Raoul Vaneigem

W.G. Sebald
“Tudo parecia organizado da melhor forma possível, como se de fato o mundo constasse somente de palavras, como se assim o próprio horror fosse trazido para dimensões seguras, como se para cada aspecto de uma coisa houvesse um reverso, para cada mal um bem, para cada dissabor um prazer, para cada infelicidade uma felicidade e para cada mentira um quinhão de verdade.”
W.G. Sebald, Vertigo

Barry Eisler
“— E acabei por ir a casa dela para lhe configurar o sistema todo.

— Harry, «configuraste-lhe o sistema todo»? — perguntei, arregalando

os olhos e fingindo-me pasmado.

Baixou o olhar, mas não conseguiu esconder um sorriso.

— Tu percebeste.

— Não vais... penetrar as seguranças dela, pois não? — perguntei, incapaz

de resistir.”
Barry Eisler, A Lonely Resurrection

J.K. Rowling
“São as nossas escolhas que mostram quem de facto nós somos, mais do que as nossas capacidades.”
J.K. Rowling, Harry Potter and the Chamber of Secrets

Alexandra Bracken
“There's is this word. Nothing like it exists in the English language. It's Portuguese. Saudade. Do you know that one? It's more ... there's no perfect definition. It's more of an expression of feeling-of terrible sadness. It's the feeling you get when you realize something you once lost is lost forever, and you can never get it back again.”
Alexandra Bracken, The Darkest Minds

J.K. Rowling
“São as nossas escolhas mostram quem de facto nós somos, mais do que as nossas capacidades.”
J.K. Rowling

“You don't realize how strong you are until you have to be.”
Thereza (from Coisa Mais Linda)

Jacob Grimm
“Minha mãe me matou,
meu pai me comeu.
Minha irmã me recolheu,
meus ossinhos embrulhou,
embaixo do pé de zimbro guardou.
Piu, piu, piu, que lindo pássaro eu sou.”
Grimm Brothers

Simon Scarrow
“Agora, Cato preferira regressar às casernas depois da instrução. Era imprescindível fazer amigos quanto antes, pensou. Mas como? E quem? Os outros tinham constituído pequenos grupos durante a viagem desde Avêntico, enquanto ele passara o tempo a ler o maldito Virgílio, recordou com súbita fúria. Dava tudo para voltar a iniciar aquela viagem, sabendo o que sabia agora.”
Simon Scarrow, Under the Eagle

“Celebra! Celebra o melhor e o pior. Celebra as vitórias e as derrotas. Celebra o sucesso e o fracasso, com a plena noção de que deste o teu melhor. O que importa é celebrar o esforço. Esforça-te em tudo! E a vida será feita de momentos para celebrar.”
Mário Leitão-Teixeira

Mira T. Lee
“There was a word for this feeling, a Portuguese word he once learned from Lucia: Suadade. A vague longing for something that cannot exist again. Or perhaps never existed.”
Mira T. Lee, Everything Here Is Beautiful

Max Stirner
“No dia em que devorares o sagrado, ele torna-se tua propriedade!”
Max Stirner, The Ego and Its Own

Virginia Woolf
“Afinal, podiam estar separados durante séculos, ela e Peter, ela nunca escrevia uma carta e as dele eram muito secas; mas de súbito lhe ocorria: "Que diria Peter, se estivesse aqui comigo agora?" Alguns dias, certas cenas lho traziam de volta, suavemente, sem a antiga amargura; é talvez a recompensa de ter amado as criaturas; voltam em meio de St. James's Park por uma bela manhã - voltam mesmo. Mas Peter - por mais belo que fosse o dia, e as árvores, e a relva e aquela meninazinha cor-de-rosa, Peter nada veria disso tudo. Poria os óculos, se ela lho dissesse; e olharia. O que lhe interessava era a situação do mundo; Wagner, a poesia de Pope, os caracteres das pessoas, sempre e sempre, e os defeitos dela própria. Como a arreliava! Como discutiam! Ela ia casar-se com um primeiro-ministro e pararia no alto de uma escada; chamava-lhe a perfeita dona-de-casa (ela até havia chorado no quarto); era o tipo acabado da perfeita dona-de-casa, dissera ele.”
Virginia Woolf, Mrs Dalloway

Virginia Woolf
“Horrível, pensava, adivinhar mover-se nela aquele monstro brutal! ouvir ramos estralejando e sentir aqueles cascos nas profundezas dessa floresta cheia de folhas, a alma; nunca estar inteiramente alegre, nem inteiramente segura, pois a qualquer momento o animal podia estar movendo-se; ódio que, especialmente depois da sua doença, fazia-lhe sentir um doloroso arrepio na espinha; causava-lhe uma dor física, todo o prazer da beleza, da amizade, do bem estar, de sentir-se amada, de tornar a casa deliciosamente acolhedora, tudo vacilava e pendia, como se na verdade houvesse um monstro a roer raízes, como se toda a panóplia do contentamento não fosse mais que amor-próprio! e aquele ódio!
Tolices, tolices! exclamava para si mesma, atravessando a porta giratória de Mulberry, o florista.”
Virginia Woolf, Mrs Dalloway

“Toda grande mente é bombeada pelo coração partido”
P.S. Jagadeesh Kumar

“Humanidade é a arte de fazer amor sem fazer inimigo”
P.S. Jagadeesh Kumar

Machado de Assis
“Tijolos que pisei e repisei naquela tarde, colunas amareladas que me passastes à direita ou à esquerda, segundo eu ia ou vinha, em vós me ficou a melhor parte da crise, a sensação de um gozo novo, que me envolvia em mim mesmo, e logo me dispersava, e me trazia arrepios, e me derramava não sei que bálsamo interior”
Machado de Assis, Dom Casmurro

“Se você se apaixonar por ela, não espere que sua vida seja fácil, você experimentará o inferno na terra”
Sami Abouzid

“Você é como um anjo. Você é minha estrela e onde quer que esteja eu te amo e sempre irei”
Sami Abouzid

“O amor precisa de uma base sólida de confiança, respeito e honestidade, mas se esses fatores estiverem ausentes, o amante torna-se infiel”
Sami Abouzid

“Eu me senti segura em seus braços, perdida e correndo, mas você era meu porto seguro. Você tornou todos os momentos que compartilhamos mágicos. Desculpe se alguma vez te irritei ou te impedi de aproveitar a vida. Eu não queria te incomodar, mas me afoguei em seu amor, meu amor”
Sami Abouzid

“É bom estar isolado do mundo e viver em seu próprio mundo onde você não encontrará hipocrisia, ódio ou estupidez”
Sami Abouzid

José Saramago
“Como tudo, as palavras têm os seus quês, os seus comos e os seus porquês. Algumas, solenes, interpelam-nos com ar pomposo. dando-se importância, como se estivessem destinadas a grandes coisas, e, vai ver-se, não eram mais que uma brisa leve que não conseguiria mover uma vela de moinho, outras, das comuns, das habituais, das de todos os dias, viriam a ter, afinal, consequências que ninguém se atreveria a prever, não tinham nascido para isso, e contudo abalaram o mundo.”
José Saramago, Caim

Sarah J. Maas
“Tomei o hábito de ficar em uma das pequenas salas que davam para as montanhas, e quase lera um livro inteiro na poltrona de estofado macio, prosseguindo devagar enquanto aprendia novas palavras Mas aquilo preenchera meu tempo - me dera a companhia silenciosa e constante daqueles personagens, os quais não existiam, mas de alguma forma, me faziam sentir menos... sozinha.”
Sarah J. Maas, A Court of Mist and Fury

“O poliamor não vem definido pelo número de relações, e sim pelo tipo de relação que têm os meta-amores entre si: se é de cooperação e cuidados mútuos, ou de confrontação e batalha pelo topo.”
Brigitte Vasallo, Pensamiento monógamo terror poliamoroso

« previous 1 3