Escravidão Quotes

Quotes tagged as "escravidão" (showing 1-8 of 8)
Filipe Russo
“Com o contorno das letras eu acorrento a humanidade e seus súditos.”
Filipe Russo, Caro Jovem Adulto

Filipe Russo
“Com o contorno das letras eu acorrento o mundo e seus habitantes.”
Filipe Russo, Caro Jovem Adulto

José Eduardo Agualusa
“Para manter os escravos no seu devido lugar, ou seja, trabalhando, trabalhando, trabalhando, é necessário nunca lhes faltar com os três pês - pau, pão e pano. Escutei isto muitas vezes, a senhores de engenho, feitores e até mesmo damas finas. Pela mina experiência, posso comprovar que aquilo que nunca falta é o primeiro pê, o pau, a pancada. A comida e a roupa faltam muitas vezes.”
José Eduardo Agualusa, A Rainha Ginga e de Como os Africanos Inventaram o Mundo

Manuel Alves
“— A liberdade não é um direito absoluto, Gervas. Fosse essa a realidade, todas as vontades seriam soberanas sobre si mesmas e todos os poderes estariam nivelados pela mesma medida. Não haveria imposições, e nenhuma língua humana teria lugar para o conceito de escravidão. A liberdade é um privilégio relativo. O prémio de quem se encontra nas circunstâncias de exercer a sua vontade sobre todas aquelas que lha recusariam, dada a oportunidade.”
Manuel Alves, A Cativa

Giovanni Papini
“A ciência é uma sucessão de hipóteses que se contradizem, de teorias que se contrapõem, de concepções caducas e de esperanças mortas. E a Ciência, tal como soterrou a Magia, poderá um dia ser morta e substituída por um modo de conhecimento superior.
Vangloria-se de reduzir as fadigas e as infelicidades dos homens e, com a a ajuda proporcionada à indústria, multiplicou as necessidades e, portanto, o trabalho e a escravidão, aumentando com os conhecimentos inúteis e a vida mais insaciável, a nossa carga de dores.
Pretende substituir-se ao sacerdote e não consegue responder às exigências mais desesperadas acerca do destino e da morte, pelo que os homens, após uma longa embriaguez de cientismo, regressam, pouco a pouco, às revelações da fé.”
Giovanni Papini, Relatório sobre os Homens

Roberto Piva
“...todo trabalhador é escravo. / toda autoridade é cômica.”
Roberto Piva, Mala na mão & asas pretas

Miguel Sousa Tavares
“Pese a muitas consciências instaladas em maus hábitos ou em maus princípios, a razão porque me ofereci para defender dois réus indefesos e a razão porque estou aqui como governador das ilhas é uma e a mesma: porque eu, e muita gente comigo, entende que chegou a altura de Portugal ser, não apenas um país colonizador, mas também um país civilizador. Que podemos e devemos colher os frutos do nosso trabalho e da nossa riqueza colonial que devemos aos nossos antepassados, mas que nada nos desobriga de trazer em troca o progresso e a civilização.”
Miguel Sousa Tavares, Equador

Laurentino Gomes
“Bonifácio trombou com os poderosos interesses dos latifundiários e senhores de escravos ao sugerir a constituinte a proibição do tráfico negreiro e abolição gradual da escravidão no Brasil. Seu projeto, que nem chegou a ser apresentado, compunha-se de um preâmbulo com 22 páginas e 32 artigos intitulado "Representação à Assembleia Constituinte e Legislativa do Império do Brasil sobre a escravatura". Dois anos mais tarde, já no exilio em Paris, Bonifácio explicaria a razão da proposta:

"A necessidade de abolir o comércio de escravatura, e de emancipar gradualmente os atuais cativos é tão imperiosa que julgamos não haver coração brasileiro tão perverso, ou tão ignorante que a negue, ou desconheça. (...) Qualquer que seja a sorte futura do Brasil, ele não pode progredir e civilizar-se sem cortar, o quanto antes, pela raiz este cancro moral, que lhe rói e consome as ultimas potências de vida, e que acabara por lhe dar morte desastrosa."

... O Brasil era escravagista e assim permaneceria por mais 66 anos, até a assinatura da lei Áurea em 1888.”
Laurentino Gomes, 1822