Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Ideias para adiar o fim do mundo” as Want to Read:
Ideias para adiar o fim do mundo
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Ideias para adiar o fim do mundo

4.34  ·  Rating details ·  330 ratings  ·  37 reviews
Ailton Krenak nasceu na região do vale do rio Doce, um lugar cuja ecologia se encontra profundamente afetada pela atividade de extração mineira. Neste livro, o líder indígena critica a ideia de humanidade como algo separado da natureza, uma “humanidade que não reconhece que aquele rio que está em coma é também o nosso avô”. Essa premissa estaria na origem do desastre ...more
Paperback, 88 pages
Published July 5th 2019 by Companhia das Letras
More Details... Edit Details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Ideias para adiar o fim do mundo, please sign up.

Be the first to ask a question about Ideias para adiar o fim do mundo

Community Reviews

Showing 1-30
Average rating 4.34  · 
Rating details
 ·  330 ratings  ·  37 reviews


More filters
 | 
Sort order
Start your review of Ideias para adiar o fim do mundo
Suellen Rubira
Dec 09, 2019 rated it liked it
Assim, ó: ideias muito interessantes, sem dúvidas. Mas ficam naquele campo do "algo precisa ser feito", sempre de modo muito vago, chamando nossa atenção para o estrago que está feito. Como os textos são originalmente palestras, possuem várias partes quase iguais. Eu dei 3 estrelas por acreditar na mensagem, mas gostaria de ver o assunto levado mais a fundo. Acho que é uma epidemia do nosso tempo: transformar textos curtos de palestras e blogs em livros.
Sofia Soter
Jul 17, 2019 rated it it was amazing
Que leitura transformadora. Ler Ailton Krenak só não é melhor do que ouvir Ailton Krenak.
Cecilia Skaf
Aug 23, 2019 rated it it was amazing
Uma leitura rápida e intensa sobre os caminhos que a humanidade vem percorrendo, sua relação (ou a falta dela) com a natureza, e sobre possíveis visões de mundo e jeitos de viver diferentes do que praticamos. Absolutamente necessário.
Paula Cruz
Nov 22, 2019 rated it it was amazing
Eu gostaria que todo mundo lesse esse livro. Tanto poder, coragem e conhecimento sintetizados numa leitura de 40 minutos. Ailton Krenak é realmente o cara.
Simone Villas Boas
Jul 24, 2019 rated it it was amazing
Ailton Krenak fala de um ser-no-mundo diferente do nosso, evidenciando traz novas possibilidade para o mundo que é compartilhado. Este é um convite para uma releitura de um mundo esvaziado de sentidos. Não é apenas uma crise ambiental, mas também psicológica e social.
Gabriela Ventura
Aug 14, 2019 rated it it was amazing
Ailton Krenak fala para deixar nosso coração mais leve e nossa cabeça mais firme. Que beleza de livrinho para nos lembrar que retórica do fim do mundo que está sendo vendida (bem caro) para nós.
Thyago Madeira França
Sep 09, 2019 rated it it was amazing
Talvez seja uns dos textos mais sensíveis que já li. Perceber-me como parte da natureza do mundo, na perspectiva apresentada por essa parábola pós-moderna de Krenak, foi uma epifania!
Laura AP
Jul 25, 2019 rated it it was amazing
Coleção de palestras boa demais para pensar um pouco no nosso futuro, na humanidade, e na percepção que temos dessas duas coisas.
Ariadne Pires  Barbosa
Adorei. Um livro que parece simples a primeira vista, mas que causa imensas e profundas reflexões. Todo mundo deveria lê-lo.
Thaís Bambozzi
Dec 06, 2019 rated it really liked it
Ailton ensina a manter as subjetividades como paraquedas coloridos, pois ainda existem constelações que dançam, cantam e fazem chover nesse mundo. Resistência e inspiração.
Pri Muniz
Jul 13, 2019 rated it it was amazing
Shelves: 2019
quando o rio doce que passa na região da aldeia krenak foi destruído pela lama da mineração (crime ambiental, não desastre), ailton disse que as mulheres da sua aldeia entraram em depressão. o rio é parente. são os nossos parentes não humanos. nós não conseguimos assimilar essa ideia, nossa relação com a natureza e com os povos originários é de violência e mercadoria. uma lógica cruel de um sistema econômico capitalista. estamos em guerra, lembra krenak. que mundo teremos no futuro? teremos ...more
Bia
Aug 09, 2019 rated it really liked it
"Precisamos ser críticos a essa ideia plasmada de humanidade homogênea na qual há muito tempo o consumo tomou o lugar daquilo que antes era cidadania." Talvez se eu tivesse que escolher um trecho para resumir, para dizer a que veio o livro do Ailton Krenak eu escolheria esse pois ao longo do texto ele nos lembra a todo tempo de que a vida está na diversidade.
Foi uma leitura rápida, mas que me fez pensar sobre diversos temas, como a visão de mundo cartesiana que nos foi imposta pelo capitalismo
...more
Lucila Mantovani
Sep 02, 2019 rated it it was amazing
Nosso tempo é especialista em produzir ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida. Isso gera uma intolerância muito grande com relação a quem ainda é capaz de experimentar o prazer de estar vivo, de dançar e de cantar.
Beatriz Rivato
Sep 10, 2019 rated it really liked it
em uma sentada, palavras que reverberam pra vida!
Solange Cunha
Sep 25, 2019 rated it it was amazing
Livro com a reprodução das falas de Ailton Krenak em algumas palestras. Super bonito, delicado e ao mesmo tempo forte e triste.
Ricardo
Este vou comprar em quantidade para distribuir para o máximo de pessoas possível. Não é receita, não é solução, nem mesmo um compilado de ideias práticas: é um chacoalhão que deveria ser óbvio neste mundo, nesta época, nesta vivência que compartilhamos, mas por cegueira advinda do comodismo, não o é. Que diacho de mundo é esse que não funciona, destrói tudo e vai terminar por matar todos os seres vivos, pelo menos enquanto o homem permanecer sobre a Terra? Por que não pensamos no que estamos ...more
Ana Margarida
Dec 29, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: favorites
"(...) excluímos da vida, localmente, as formas de organização que não estão integradas ao mundo da mercadoria, pondo em risco todas as outras formas de viver — pelo menos as que fomos animados a pensar como possíveis, em que havia corresponsabilidade com os lugares onde vivemos e o respeito pelo direito à vida dos seres, e não só dessa abstração que nos permitimos constituir como uma humanidade, que exclui todas as outras e todos os outros seres. Essa humanidade que não reconhece que aquele rio ...more
Priscilla
Jan 08, 2020 rated it liked it
Leitura interessante -- mas não tinha necessidade de ser um livro: seria muito mais interessante ver ou ouvir a apresentação do autor. Especialmente quando o livro é produzido na categoria "xerox universitária gourmet": uma transcrição de evento, com uma edição bonita e um alto custo. Parece até mesmo incongruente com o tema e o que está sendo discutido na leitura: pensar nos rastros e nos custos da nossa forma de humanidade e cultura.
Jose Restrepo
Jan 04, 2020 rated it really liked it  ·  review of another edition
Muito legal ver como uma pessoa de origem indígena enxerga o mundo. Coisa que eu não conseguiria ver. Muito legal o livro, se lê em uma sentada e te faz refletir. Tem que ter empatia e criar seu paraquedas colorido.
Taissa Reis
Jan 06, 2020 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: pub-br
Perfeito, me deu vontade de ler basicamente tudo o que ele referencia nos três textos que compõem esse livro.
jazz
Jan 04, 2020 rated it really liked it  ·  review of another edition
"qual é o mundo que vocês estão agora empacotando para deixar às gerações futuras?"

Alana
Dec 28, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: indígena
Definitivamente o meu livro favorito do ano e um dos favoritos da vida. Leitura essencial.
Camila
Jan 16, 2020 rated it liked it
Conteúdo indiscutivelmente relevante, a meu ver, que merecia uma edição mais extensa, com espaço para o desenvolvimento das ideias-chave do autor.
Ester Garcia
Dec 08, 2019 rated it it was amazing
Pequena obra dividia em três partes: ideias para adiar o fim do mundo, do sonho e da terra e a humanidade que pensamos ser.

O autor traz várias reflexões sobre sustentabilidade, o que é humanidade, consumo de recursos e Antropoceno.

Um livro muito importante para nossa era!!! As reflexões são amplas e muito pertinentes.

O livro pode ser muito breve em seu conteúdo, porém, é profundo em seus questionamentos.
Haymone Neto
Dec 08, 2019 rated it liked it
Tenho a impressão de que, quando os ensaios começam a ficar interessantes, chegam ao fim. De qualquer forma, a ideia dos paraquedas coloridos para enfrentar a queda me parece fundamental para os dias atuais.
Natalia Rodrigues
Dec 08, 2019 rated it liked it
É bom ver discursos coesos sobre o momento em que vivemos, com toques de esperança e possibilidades de mudança. Muito mais positivo do que eu pensei que seria (ou como vejo o mundo hoje).
Cíntia Castanho
Nov 02, 2019 rated it it was amazing
Apaixonante! Apesar de ser um livro pequeno, ele é completamente impactante, envolvente e muito enriquecedor, porque traz uma perspectiva de vida diferente daquela que há muitos anos ouvimos, afinal somos ensinados a nos acostumarmos com esse sistema consumista que reduz tudo a produtos e, como ele bem disse ao mencionar o Mujica, transformou cidadãos em consumidores que se acostumaram com a bajulação a ponto de ficarem imbecilizados e perderem a capacidade crítica, de questionar, de viver de ...more
jose coimbra
Nov 17, 2019 rated it it was amazing
Shelves: oicos

Krenak reúne em livro o conjunto de conferências ralizado em Portugal. Trata-se de voltar a marcar posição, assumindo palavra de ordem ante os desafios postos pelo antroproceno.

Há um apelo para que o destinatário de sua mensagem se deixe atravessar e veja os problemas que o nosso tempo nos apresenta. Krenak aponta que o tempo que vivemos é "especialista em criar ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida". É nesse ponto, o da possibilidade de
...more
Daniela
Ouvir o outro. Isto é o melhor deste livro. Não vou falar o que ele diz, porque é importante manter sua própria voz, sua própria lógica e a paráfrase empobrece. E é um livro curto, fácil de ler, quase uma conversa cheia de reflexões e provocações.

Eu também quero manter a floresta em pé, as águas e ar limpos, impedir a crise climática. Também quero impedir que o capitalismo avance sob tudo, transforme tudo em mercadoria, até mesmo o que quiçá seria preservado. E nisso há um encontro, um diálogo.
...more
Marcelo Galuppo
Aug 27, 2019 rated it it was amazing
Em nossa arrogância, o homem produziu um mundo maravilhoso, que venceu a miséria, as feras, as doenças e um dia vencerá a morte e que produziu a ciência e sobretudo a técnica. Esse homem progressivamente tornou-se consciente de que era preciso preservar a natureza, conservá-la para as gerações futuras. Mas Ailton Krenak nos alerta para duas mentiras contidas nessa narrativa. A primeira, é que o homem e a natureza seriam entes distintos, independentes até. A segunda, que podemos impedir o fim do ...more
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 10 11 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »

Readers also enjoyed

  • Pequeno Manual Antirracista
  • Plantation Memories
  • O Peso do Pássaro Morto
  • Essa gente
  • Olhos D'água
  • A Vida Invisível de Eurídice Gusmão
  • Feminism for the 99%: A Manifesto
  • A feiticeira de São Judas Tadeu dos Milagres
  • Todos nós adorávamos caubóis
  • Talvez precisemos de um nome para isso
  • Enterre seus mortos
  • O Paraíso são os Outros
  • El peligro de la historia única
  • Redemoinho em dia quente
  • Um Útero é do Tamanho de um Punho
  • Caderno de Memórias Coloniais
  • As Mais Belas Coisas do Mundo
  • Quem Tem Medo do Feminismo Negro?
See similar books…
19 followers
Ailton Krenak é escritor, roteirista, porta-voz e pensador indígena. Integrante da comunidade dos Krenak, aos dezessete anos migrou com seus parentes para o estado do Paraná. Posteriormente, tornou-se produtor gráfico e jornalista. Dedica-se ao movimento indígena desde muito jovem. Graças a esforços coletivos e do próprio escritor, o número de indivíduos de sua comunidade voltou a subir, depois de ...more
“nosso tempo é especialista em criar ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida. isso gera uma intolerância muito grande com relação a quem ainda é capaz de experimentar o prazer de estar vivo, de dançar, de cantar. e está cheio de pequenas constelações de gente espalhada pelo mundo que dança, canta, faz chover. o tipo de humanidade zumbi que estamos sendo convocados a integrar não tolera tanto prazer, tanta fruição de vida. então, pregam o fim do mundo como uma possibilidade de fazer a gente desistir dos nossos próprios sonhos. e a minha provocação sobre adiar o fim do mundo é exatamente sempre poder contar mais uma história. se pudermos fazer isso, estaremos adiando o fim.” 1 likes
More quotes…