Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes” as Want to Read:
Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes

4.25  ·  Rating details ·  2,493 ratings  ·  47 reviews
Coletânea de poemas - 'O rio' (1953), 'Morte e Vida Severina' (1954-55), 'Paisagens com Figuras' (1955) e 'Uma Faca sem Lâmina' (1955) - de João Cabral de Melo Neto publicados na década de 1950. Para Cabral, esta década foi crucial para a consolidação da linguagem que viria a refinar nos anos seguintes. No poema 'O Rio', Cabral trata do rio Capibaribe e de seu povo, só ...more
Paperback, 168 pages
Published by Nova Fronteira (first published 1955)
More Details... Edit Details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes, please sign up.

Be the first to ask a question about Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes

Community Reviews

Showing 1-30
Average rating 4.25  · 
Rating details
 ·  2,493 ratings  ·  47 reviews


More filters
 | 
Sort order
Start your review of Morte e Vida Severina e Outros Poemas Para Vozes
Laís Arjona
5.0/5.0
Meu avô não falava de como foi quando ele retirou. Eu sei que ele andou sete dias a pé, muita gente morreu, os irmãos dele, quase todos os irmãos, dois na mesma semana, os pais, os primos, a família toda. Todos os nossos parentes são vizinhos. Meu avô enterrou muita gente. Meu avô andou muito a pé. Meu avô tinha medo de cobra, ele amava o sol. A gente brincava que não tinha cabimento alguém que fugiu tanto da seca amar tanto o sol. Ele amava os cachorros. Tinha pavor de deixar filho
...more
Michela
Feb 02, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: fevereiro2019
se somos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte
de fome um pouco por dia (de fraqueza e de doença
é que a morte severina
ataca em qualquer idade,
e até gente não nascida).
Rafael Bechelli
Nov 04, 2011 rated it it was amazing
"Morte e Vida Severina" is a short story written as a narrative poetry by João Cabral de Melo Neto, Brazilian writer and Diplomat.

It tells the story of Severino - a somewhat generic personification of the people that live on the driest parts of northeastern Brazil - in his journey from his former home on the very dry land of Serra da Costela to Recife, where he hopes to live a little longer.

All along his path Severino is confronted with death, and the dryness of the land. He tries, with the
...more
Bernardo Lima Carvalho
Mandatory reading in Brazilian literature. Focusing on Morte e vida severina, it follows the journey of a symbolic Severino showing his poverty and the general poverty in the state of Pernambuco (almost 80 years ago). It's striking to realize the two main types of poor laborers still exists in the countryside: (arid-land) caretakers and sugar-cane cutters, people submitted to unhealthy conditions and trying to flee from hunger and slave-like labor going to the capital by following the Capibaribe ...more
Álvaro Guilherme  Andrade Rocha
E chegando, aprendo que,

nessa viagem que eu fazia,

sem saber desde o Sertão,

meu próprio enterro eu seguia (...)

- Morte e vida severina.

João Cabral de Melo Neto, o autor desta coletânea de poemas, por intermédio deste livro demostrou o quão visual poemas podem ser. A "arte de ver" torna a experiencia bem única, fator de certa forma condizente com a teoria sociológica da Semiótica de Bourdieu, a qual versa sobre a possibilidade de explanação de fenômenos culturais através de um sistema de

...more
Carol Bastos
Feb 24, 2019 rated it it was amazing
Amo demais, já li e reli e se der vontade leio mais uma vez. Retrata a vida de tantos brasileiros, vale mt a pena ler.
Heider Broisler
Nov 22, 2018 rated it it was amazing
Uma obra fantástica da Língua Portuguesa. Este autor deve ser currículo obrigatório para as escolas brasileiras. Um clássico!
Arthur Gonçalves
Mar 15, 2016 rated it really liked it  ·  review of another edition
"Uma Faca Só Lâmina" bastaria para começar toda uma tradição poética; digo isso sem sentir a pontada da hipérbole. "Morte e vida severina" é um poema justo, e eu gosto particularmente do seu final e de alguns de seus momentos, mas não é dos meus favoritos do João Cabral. "O rio" é maior e, simultaneamente, menor do que "O cão sem plumas", mas nasce - intuo - de um impulso topográfico admirável: a cuidadosa entrada do espaço no poema. "Paisagens com figuras" ainda nos dá esse trecho, entre ...more
Octavio Pontes
Jun 15, 2016 rated it it was amazing  ·  review of another edition
"(...) é difícil defender,
só com palavras, a vida,
ainda mais quando ela é
esta que se vê, severina (...)"
Gláucia Renata
Dec 05, 2013 rated it really liked it
Nem gosto muito de poesia, tenho uma certa dificuldade em interpretá-la, mas esse poema é magnífico pela sua crueza e pela sua realidade. É só abrir o jornal que teremos pelo menos uma morte e vida severina ao dia...
Sandro Araujo
Dec 26, 2017 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: favorites, tenho
Um poema que te obriga a tomar as dores do personagem e a falta de esperança que o segue, até que o final, apesar da objetividade, nos faz refletir em como a vida ressurge como solução.
Daisy
Jun 12, 2011 rated it it was amazing
One of the best books I ever read.
Mathias Eichbaum
Jan 29, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: literatura, poesia
This review has been hidden because it contains spoilers. To view it, click here.
Samuel
Jun 24, 2019 rated it liked it
Morte e Vida Severina foi um livro escrito por João Cabral de Melo Neto em 1956. Em 1966, a obra vira uma peça de teatro, sendo encenada no Teatro da Universidade Católica de São Paulo; A peça tem tanto sucesso, que é encenada também em Portugal e França.

Morte e Vida Severina é uma obra em forma de poemas que aborda toda a dificuldade do Sertão; Retrata a vida do retirante Severino que sai da seca indo rumo ao litoral (Recife). Durante toda a sua trajetória, encontra privações, seca e mortes,
...more
Thaís Soares
Jun 25, 2019 rated it it was amazing
"E se somos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte,
de fome um pouco por dia
(de fraqueza e de doença
é que a morte severina
ataca em qualquer idade,
e até gente não nascida).
Somos muitos Severinos
iguais em tudo e na sina:
a de abrandar estas pedras
suando-se muito em cima,
a de tentar despertar
terra sempre mais extinta,
a de querer arrancar
algum roçado da cinza."
Juliana Costa
Aug 01, 2019 rated it it was amazing
Shelves: favoritos
"E chegando, aprendo que, / nessa viagem que ei fazia, / sem saber desde o Sertão, / meu próprio enterro eu seguia."

Os poemas " O Rio" e "Morte e Vida Severina", me marcaram muito e me impressionaram também, eu esperava gostar do segundo, mas não na intensidade de que gostei. Os versos são construídos de forma simples, então é fácil de entender, mas quando se para para pensar um pouco, o que impressiona é o impacto e a verdade que carrega cada palavra.
Cristian de Lima
Sep 08, 2019 rated it really liked it
Uma escrita densa sobre os valores de vida e morte discutidos sob um olhar profundamente marcado por uma realidade injusta compartilhada pela miséria ainda presente. Falar, fazer poesia, discutir, mostrar ainda são ferramentas poderosas que participam do processo de melhorar mesmo que minimamente essa situação transformando o problema em debates que precisam ser mostrados aos que se negam a ver.
Luiz Carvalho
Jan 19, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Morte e Vida Severina retrata a saga do retirante do sertão pernambucano e sua história com o Rio Capibaribe. O retirante, que enfrenta vida dura em sua terra natal, vai ao Recife, em busca de dias melhores. Poesia da boa, reflexões importantes. Excelente.
Macanot
Dec 21, 2018 rated it it was amazing
A edição que li não é esta, é uma edição especial comemorativa do 60.o aniversário da obra. Contém apenas "Morte e Vida Severina" e textos de enquadramento, de outros autores.

Que absoluta delícia da língua portuguesa que é este poema!
Thais
Mar 15, 2019 rated it it was amazing
é difícil defender,
só com palavras, a vida
ainda mais quando ela é
esta que vê, severina;
David Gonçalves
Jun 28, 2018 rated it really liked it  ·  review of another edition
O livro possui diversos poemas, mas o principal "Morte e vida severina" é sem dúvida o melhor.
Não é meu estilo preferido, mas gostei.
Lucas Arrelias
Jun 30, 2019 rated it it was amazing
Um poema que fala sobre diversos problemas do nordeste brasileiro de forma comovedora e emotiva.
Roberto Denser
Dec 30, 2017 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Livro brilhante. Sem mais.
Indra Barrios Lasso
Jul 24, 2018 rated it really liked it
Uma viagem poética pelo sertão da alma.
Ester Pereira de Almeida Santos
Cru e verdadeiro.
Cynara Maíra
Tirando morte e vida severina e o rio que eu amei e entendi de verdade, a grande maioria eu fiquei meio confusa, mas achei muito bom a questão pernambuco que grita em todos os poemas
Steph Mostav
Realmente pode ser lido numa sentada, se eu estivesse participando do desafio livrada, este seria o "1- Um livro para se ler em um único dia". Gostei muito mais do que esperava. Leio menos poesia do que deveria, mas geralmente faço uma boa curadoria para os poucos livros lidos desse gênero. Foi meu primeiro contato com o autor e eu fiquei impressionada com a força do texto dele, como ele consegue criar imagens claras com o bom uso das palavras certas. Meu poema preferido foi o que dá título ao ...more
Ana Carolina
Aug 11, 2019 rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: ebook, faculdade
E se somos Severinos iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos triste,
de emboscada antes dos vinte,
de fome um pouco por dia
(de fraqueza e de doença
é que a morte severina
ataca em qualquer idade,
e até gente não nascida).
Pedro
Dec 18, 2016 rated it it was amazing
Ao contrário de outros poetas, dos quais igualmente gosto, que seduzem leitores com palavras e os estimulam a um orgasmo intelectual de paralelos, analogias, metáforas... João, por sua vez, é duro, é seco, é cru , é ligeiro - quando você vê - já foi... O que ele tinha para dizer ficou ali , no nó garganta, no sentimento claustrofóbico, no frio na barriga... No desconforto, na agonia.

Para tentar entender de onde veio a pancada, você volta, relê, só para perceber que caiu em uma armadilha feita
...more
Stephanie
Oct 12, 2011 rated it it was amazing
"In the case of good books, the point is not to see how many of them you can get through, but rather how many can get through to you."
— Mortimer Jerome Adler



TInha um pouco de preconceito com este livro, por ser estritamente escrito na forma poética. Porém, me apaixonei por ele a partir do momento em que Cabral de Melo Neto descreve o sertão como terra "vaziada, não vazia". O livro abre olhos, ouvidos, o coração e a mente do leitor. Nos descreve uma relidade de forma tão objetiva e,
...more
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 next »
topics  posts  views  last activity   
Goodreads Librari...: Book without cover 4 15 May 08, 2017 05:37PM  

Readers also enjoyed

  • Vidas Secas
  • Memórias de um Sargento de Milícias
  • Auto da Compadecida
  • Dom Casmurro
  • Macunaíma
  • Memórias póstumas de Brás Cubas
  • O Alienista
  • O Cortiço
  • Sagarana
  • Iracema
  • O Triste Fim de Policarpo Quaresma
  • Noite na Taverna
  • Capitães da Areia
  • Quincas Borba
  • Sentimento do Mundo
  • Nine Nights
  • Relato de um Certo Oriente
  • A Rosa do Povo
See similar books…
João Cabral de Melo Neto was born in the state of Pernambuco, Brazil, and is considered one of the greatest Brazilian poets of all time.

He is often quoted saying "I try not to perfume the flower". His works are said to be dry, devoid of exaggerated emotions that are usually associated with poetry, sticking usually to images and actions and physical descriptions rather than feelings. The image of
...more
“- Seu José, mestre carpina,
e que interesse, me diga,
há nessa vida a retalho
que é cada dia adquirida?
espera poder um dia
comprá-la em grandes partidas?
- Severino, retirante,
não sei bem o que lhe diga:
não é que espere comprar
em grosso de tais partidas,
mas o que compro a retalho
é, de qualquer forma, vida.”
2 likes
“— Severino, retirante,
deixe agora que lhe diga:
eu não sei bem a resposta
da pergunta que fazia,
se não vale mais saltar
fora da ponte e da vida;
nem conheço essa resposta,
se quer mesmo que lhe diga
é difícil defender,
só com palavras, a vida,
ainda mais quando ela é
esta que vê, Severina
mas se responder não pude
à pergunta que fazia,
ela, a vida, a respondeu
com sua presença viva.
E não há melhor resposta
que o espetáculo da vida:
vê-la desfiar seu fio,
que também se chama vida,
ver a fábrica que ela mesma,
teimosamente, se fabrica,
vê-la brotar como há pouco
em nova vida explodida;
mesmo quando é assim pequena
a explosão, como a ocorrida;
como a de há pouco, franzina;
mesmo quando é a explosão
de uma vida Severina.”
1 likes
More quotes…