Diz-me o que lês, dir-te-ei quem és discussion

145 views
Apresentações > Sugestões

Comments (showing 1-17 of 17) (17 new)    post a comment »
dateDown arrow    newest »

message 1: by Ana (new)

Ana  (boladesabao) | 226 comments Mod
Queremos que este grupo seja dinâmico e cresça de uma forma saudável. Por isso, qualquer sugestão que tenham para melhorar este nosso cantinho, estejam à vontade para a partilhar. Contamos convosco. ;)


message 2: by Mafi (new)

Mafi | 212 comments Olá :) Podia haver um tópico sobre o que andamos a comprar ;)


message 3: by Ana (new)

Ana  (boladesabao) | 226 comments Mod
Olá Mafalda! Obrigado pela tua sugestão... vamos tratar disso. ;)


message 4: by Telma (new)

Telma (telmixa) Um tópico sobre blogs? Quem tem blog de leituras, porque é que o criou, motivações, se custa mantê-lo, se acha que foi um erro ou a melhor coisa que podia ter feito.


message 5: by Mafi (new)

Mafi | 212 comments Bem podia haver um tópico sobre a editora Quinta Essência, é uma editora que aprecio bastante e tem vindo a crescer. Fica aqui a sugestão ;)


message 6: by Catarina (new)

Catarina (CPinho) | 25 comments Mafalda wrote: "Bem podia haver um tópico sobre a editora Quinta Essência, é uma editora que aprecio bastante e tem vindo a crescer. Fica aqui a sugestão ;)"

Os autores que leio desta editora também têm vindo a crescer exponencialmente :)


message 7: by Calypso (new)

Calypso | 352 comments Mod
Mafalda wrote: "Bem podia haver um tópico sobre a editora Quinta Essência, é uma editora que aprecio bastante e tem vindo a crescer. Fica aqui a sugestão ;)"

Está aberto, se quiserem deixar alguns livros no tópico estejam à vontade ;)


message 8: by Joana (new)

Joana (branca_de_neve) | 154 comments Podíamos tentar organizar leituras conjuntas. Que dizem?

Já agora, os tópicos de Terror e Policial desapareceram ou sou eu que não os encontro??


message 9: by Calypso (new)

Calypso | 352 comments Mod
Joana wrote: "Podíamos tentar organizar leituras conjuntas. Que dizem?

Já agora, os tópicos de Terror e Policial desapareceram ou sou eu que não os encontro??"


Eu e a Ana já tínhamos falado sobre organizar leituras conjuntas, mas como o grupo é muito recente decidimos aguardar, de qualquer forma, se houver interessados não vejo porque não :)

Quanto aos tópicos que referes basta clicares sobre "Leituras" que surgem todos os tópicos inseridos nessa página e encontrarás o Policial e Terror ;)


message 10: by Mar (new)

Mar Lencaster | 70 comments Porque não criar um tópico de sugestões literárias? Onde se pudessem sugerir títulos dentro dos vários géneros para quem queira expandir os horizontes de leitura.


message 11: by Cathy (new)

Cathy (Elaine107) Nós gostamos de ler! Gostamos de ler livros bons e de oferecer uma boa leitura aos nossos amigos. Infelizmente, os livros são cada vez mais dispendiosos e torna-se cada vez mais dificil aceder com a mesma regularidade a uma boa literatura com preços acessiveis aos bolsos do português médio.

Asssim, decidimos produzir um local onde os livros usados e alguns novos pudessem ser adquiridos a preços mais modestos e com portes incluidos.

Na descrição dos mesmos explicamos o estado em que estes se encontram. É importante sublinhar, que os que se encontram COMO NOVOS foram, no geral, lidos uma vez, e mal se percebe o seu uso.

Também estamos interessados em adquirir livros em bom estado para que outras pessoas possam também beneficiar dessa mesma história!



Contamos convosco!

www.alfarrabices.com


message 12: by Mar (new)

Mar Lencaster | 70 comments Já lá vou! :D


message 13: by Maria (new)

Maria Carmo (MariaCarmo) | 80 comments Olá, Gostava que lêssemos A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón, ou então O Príncipe das Neblinas (bem, o título é parecido! LOL). É que Carlos Ruiz Zafón escreve divinalmente, constrói uns ambientes super góticos e é entusiasmante! Que acham?


message 14: by Calypso (new)

Calypso | 352 comments Mod
EDIT: Estou a transferir para aqui o post colocado indevidamente no tópico referente à 3ª fase da leitura conjunta.

Olá a todos

Se gostam do Dorian Gray, acho que tenho algo de interesse para vocês.

Chamo-me Rui Zambujal e escrevi um livro (2009-2049: Quarenta Anos de Montanha Russa) que tem matéria que penso ser do vosso interesse (o envelhecimento), e que está à venda como e-book na Amazon.com. Ganhou o prémio de melhor e-book do New York Book Festival de 2011.

Aqui vai um excerto.


Relatava a enciclopédia:

“Em Janeiro de 1998 a revista Science reportava o trabalho de biólogos que tinham desenvolvido um método pelo qual se obtinham células humanas normais, mas imortais. As células humanas normais morrem ao fim de 50 a 70 divisões (ao contrário das células do cancro, que se dividem para sempre mas nada têm de normal). Esse trabalho descrito na Science revelava que se se conseguir que os telómeros (as extremidades dos cromossomas, que perdem um pouco do seu comprimento em cada divisão celular) se mantenham longos indefinidamente, acontece o milagre: esse limite de divisões das células normais é ultrapassado (a essa mortalidade chama-se o Limite de Hayflick), e as células vivem para sempre. (Ou pelo menos indefinidamente, dado que “para sempre” é impossível de provar). Essas investigações foram conduzidas por Calvin Harley, da Geron Corporation, e por Woodring Wright e Jerry Shay, do Southwestern Medical Center da Universidade do Texas (e respectivos colaboradores), e provaram definitivamente que o relógio biológico das células se encontra nos telómeros.”

“Este trabalho foi precedido por uma experiência inédita, onde o biólogo fundador da Geron Corporation (a primeira empresa de biotecnologia especializada em envelhecimento), Michael West, colheu células do joelho de Leonard Hayflick (o decano da biogerontologia) e as tornou imortais. West planeava publicar um artigo (que nunca saiu), intitulado A Imortalização do Dr. Hayflick. As células de Hayflick foram provavelmente as primeiras células imortalizadas na história humana. Bastante apropriado.”

“Onze anos depois, em 2009, o Prémio Nobel da Medicina foi atribuído aos três cientistas cujas investigações sobre telómeros no microrganismo Tetrahymena e em células humanas antecederam os trabalhos de Shay, Harley e Wright. A bióloga Elizabeth Blackburn, a sua estudante Carol Greider, e Jack Szostak foram os contemplados, pelo seu trabalho pioneiro e muito mais revolucionário que o que podiam imaginar quando fizeram as primeiras experiências.”

No grande ecrã via-se video dos cientistas, acompanhado de fotografias de culturas de células. Nalgumas viam-se os telómeros a brilhar nas extremidades dos cromossomas.

Continuou a Superclopédia:

“O trabalho relatado na Science consistiu muito simplesmente em introduzir nas células o gene da enzima telomerase, cuja função é alongar os telómeros, com o resultado que as células se mantêm indefinidamente com características de células jovens. Produzem “para sempre” enzimas antioxidantes e outras proteínas ao nível de células normais jovens, mantendo o padrão de expressão dos genes típico das células adultas não envelhecidas.”

“Demasiado bom para ser verdade? Em meados da primeira década do século XXI surgiu uma empresa que não pensava assim. Essa empresa chamava-se Telomolecular, e começou a reunir um portefólio de patentes, de muito boa proveniência (Universidade de Stanford e Universidade do Nebraska), com vista a desenvolver uma técnica de telomerização (alongamento dos telómeros) aplicável ao organismo humano. Da Universidade de Stanford vieram os nanocírculos, desenvolvidos por Eric T. Kool. São pequenos círculos de ADN com uma sequência de nucleótidos (letras do código genético) complementar à sequência que se repete nos telómeros (TTAGGG). Esses pequenos círculos unem-se aos telómeros e levam ao seu alongamento, rejuvenescendo as células. Além dos nanocírculos a Telomolecular pensava usar também a própria telomerase para obter esse alongamento.”

Acompanhando a voz-off viam-se desenhos dos nanocírculos e fotografias de microscopia electrónica dessas moléculas, com uma fotografia do cientista.

“Da Universidade do Nebraska veio a técnica pela qual se iriam transportar as moléculas telomerizantes para o interior de cada célula. Era um aperfeiçoamento de uma técnica já reconhecida pela FDA (a Food and Drug Administration, a agência reguladora dos medicamentos da América) cujo nome era ‘nanopartículas PLGA’. PLGA são as iniciais de ‘Poly (Lactic-co-Glycolic Acid)’. As nanopartículas PLGA não são tóxicas, não provocam reacção imunitária, são biodegradáveis e atravessam a barreira hematoencefálica, sendo um veículo ideal para o aporte de moléculas demasiado grandes para serem transportadas por outros métodos.”

“Mas os trabalhos continuavam noutras universidades, e no fim de 2009 uma equipa da Universidade da Califórnia em Los Angeles publicava na revista Nature Nanotechnology a descrição de um novo método de transporte de proteínas para o interior das células. O método chamava-se “nanocápsulas”, e consistia num invólucro polimérico que estava covalentemente ligado (1) à proteína que transportava, podendo ser esse invólucro degradável ou não-degradável. Tinha uma elevada eficiência de transporte e protegia as proteínas do ataque das proteases (enzimas que destroem as proteínas) do estômago e das células.”

“Com promessas tão grandes, a Telomolecular na primeira década do século XXI levava uma vida muito discreta, demasiado discreta: parecia que não iam a lado nenhum. Em 2010 já desaparecera, e as suas patentes tinham sido compradas por uma empresa londrina chamada RCP Therapeutics, que também não parecia interessada em fazer ondas. Mas apesar de uma classe jornalística que parecia curiosamente conciliada com a sua mortalidade, as notícias de tanta ambição começaram a correr de boca em boca, e a pressão de investidores e prospectivos clientes cresceu.”

-Fantástico! – diz Pedro – Ainda não sabia estes pormenores. Por isso é que os nossos pais e os nossos avós estão tão diferentes dos personagens do filme. Isto apareceu mesmo a tempo para eles.

E realmente tinham tido grande sorte. Em 2020 já decorriam os primeiros ensaios clínicos, e os mais corajosos começaram a tomar as primeiras pílulas de telomerização. Entre essas almas bravias estavam Ricardo, Álvaro e Sarah.

(1): um invólucro polimérico é um invólucro composto de polímeros; um polímero é uma molécula composta de muitas moléculas iguais ligadas entre si. Por exemplo, a celulose é um polímero da glucose, é composta de milhares de moléculas de glucose ligadas em cadeia. O invólucro está covalentemente ligado à proteína que transporta porque para fazer essa ligação utiliza ligações covalentes, que são as ligações químicas mais fortes que existem. Numa ligação covalente dois átomos partilham entre si um a três pares de electrões.

[...]
Quando começaram a telomerização, foi naturalmente Ricardo quem viu as maiores alterações: decorridas algumas semanas a barriga começou a desaparecer, e umas pequenas rugas que já lhe tinham surgido em torno dos olhos eclipsaram-se. Em Álvaro e Sarah, as mudanças foram menos pronunciadas, mas os dois notaram uma perda de peso e um melhor aspecto na pele.

Desde então o seu aspecto mantivera-se completamente estável, tal como os valores das análises que faziam periodicamente.

Álvaro entra na sala quando os rapazes estavam a acabar de ver o vídeo da Superclopédia. Rui pergunta:

-Ó Álvaro - os gémeos tratavam os dois pais pelo nome próprio, dadas as confusões se tratassem os dois por pai - se vocês nunca vão ficar velhos, alguma vez irão morrer?


- Viver para sempre não me parece possível, Rui, pois “para sempre” é mesmo muito tempo. “Para sempre” é viver 100.000 triliões de anos? Não, é mesmo muito, mas muito mais que isso. É infinito, e não me parece que a alma humana esteja concebida para tal coisa. Mas não é inconcebível que possamos viver uns bons milhares de anos. Quem sabe, estamos em território inexplorado, a testar os limites da natureza humana. O que sabemos é que as experiências em células e, depois, em modelos animais dão razões para bastante esperança.

-Que modelos animais? Há animais que não morrem de velhos? – interroga Pedro.

-Há animais que aparentemente não têm um processo de envelhecimento, como os tubarões e as lagostas, segundo alguns autores (2). E há uma ave marinha muito longeva, chamada Oceanodroma leucorhoa, cujos telómeros em vez de ficarem mais curtos com a idade, ficam mais longos. E no fim de Novembro de 2010, a revista Nature publicou o trabalho de um cientista de Harvard com um nome muito português, Ronald DePinho, que tinha conseguido criar os primeiros ratos rejuvenescidos. Os ratos tinham um gene da telomerase inactivo que podia ser activado pela injecção de um determinado produto químico. O que DePinho fez foi permitir que os animais envelhecessem e, e quando estavam claramente degenerados, activou a telomerase dormente. E os resultados foram incríveis. Os ratos começaram a produzir novas células cerebrais, recuperaram os reflexos olfativos perdidos, a pelagem, que já tinha zonas de calvicie, rejuvenesceu e ficou igual à de ratos adultos jovens… Nas fotos do artigo, podia observar-se que os cérebros dos ratos telomerizados estavam claramente maiores que os cérebros atrofiados dos ratos envelhecidos. E tinham telómeros alongados, que conduziram à reversão do envelhecimento em vários órgãos. Isto tudo com um tratamento de apenas quatro semanas.

(2): o biólogo Leonard Hayflick no seu livro How and Why We Age; Hayflick foi o descobridor do Limite de Hayflick, que é a observação que as células humanas normais têm um número limitado de divisões, após o qual envelhecem e morrem.

-Fixe! – exclama Rui – E havia outros modelos animais?

-Algumas das experiências mais interessantes têm sido feitas num peixe, chamado Nothobranchius furzeri, que é o vertebrado com a segunda vida mais curta que se conhece. O vertebrado com a vida mais curta é também um peixe - um peixe pigmeu australiano com o qual é mais difícil trabalhar - que se chama Eviota sigillata e vive 3 semanas e meia. No Nothobranchius cientistas italianos fizeram uma experiência famosa com o antioxidante do vinho tinto resveratrol e obtiveram um aumento de quase 60 por cento da extensão da vida.

-Um peixe cheio de sorte! – observa Pedro Paulo.

-Esse peixe tornou-se um instrumento de eleição para o estudo dos efeitos dos agentes telomerizantes, pois vive apenas umas treze semanas, e assim é especialmente útil para demonstrar aumentos do tempo de vida sem se ter que esperar anos e anos. E além disso é um vertebrado como o Homem, o que é importante pois todos os vertebrados têm a mesma sequência de nucleótidos nos telómeros. As experiências têm sido muito animadoras. Pouco depois do trabalho do DePinho ter sido publicado, houve logo investigadores que se lembraram de inserir o gene activável da telomerase usado na experiência de Harvard no Nothobranchius furzeri. Assim tinham uma maneira de controlar a acção da telomerase em todas as células do peixe. E os resultados foram muito interessantes.

-Aposto que sim! – observa Rui Ricardo – Os peixes devem estar vivos até hoje, quarenta anos depois.

-E nas pessoas os estudos também eram muito animadores: um trabalho de cientistas dos National Institutes of Health da América, publicado em 2009, demonstrou que em mulheres que tomavam um simples multivitamínico por dia, os telómeros eram 5,1 por cento mais longos, o que correspondia a um aumento da esperança de vida de 9,8 anos. Os multivitamínicos são muito importantes pois são antioxidantes e os telómeros são muito sensíveis ao stress oxidativo (3).

(3): esta sensibilidade dos telómeros ao stress oxidativo, que os “desgasta”, foi descoberta por cientistas do Reino Unido (Thomas von Zglinicki e colaboradores)



message 15: by Maria (new)

Maria Carmo (MariaCarmo) | 80 comments Gostaria de agradecer ao Rui a partilha que fez, que quero ler com mais atenção antes de comentar.

Quanto às sugestões de lermos autores Portugueses, sou completamente favorável!!!!!

Já agora, para além do próprio Rui Zambujal, lembro aqui nomes como Pedro Guilherme-Moreira, Renato Carreira, Nuno Camarneiro, entre autores que publicaram recentemente livros muito interessantes e bem escritos (não tenho de cor os títulos todos, mas se virem os meus livros lidos este ano, vão encontrá-los lá).
Também Portuguesas, as escritoras Teolinda Gersão (especialmente a Cidade de Ulisses) e Isabel Fraga - menos conhecida do que seria desejável mas com livros belíssimos, especialmente A Desenhadora de Malvas da editora ASA.

Sugestões...

Maria Carmo


message 16: by Lars (new)

Lars Gonçalves (lars_goncalves) | 55 comments Mod
Um tópico a promover os escritores portugueses


message 17: by Victor (new)

Victor Eustáquio (veustaquio) | 1 comments 270 páginas de obscenidades existenciais

"A Cidade dos Sete Mares" chegou ao 9º lugar no ranking de vendas online na categoria de literatura/ficção da Bertrand e continua a subir na Wook.
Não está mal para 270 páginas de obscenidades existenciais. Em português e outras línguas semelhantes.

A quem possa interessar:
http://www.facebook.com/ACidadeDosSet...


back to top

unread topics | mark unread