Maria's Reviews > Morrer em Times Square

Morrer em Times Square by Hernâni Carvalho
Rate this book
Clear rating

by
3454514
's review
Jun 04, 11

bookshelves: own
Read from May 31 to June 04, 2011

Já quase tudo se sabe do que se passou no quarto 3416 do luxuoso Hotel Intercontinental, em Times Square, em Nova Iorque, no início deste ano, pelo menos aquilo se foi relatado em todas as revistas do cor-de-rosa, da actualidade, jornais, e afins, e este livro pouco mais veio adiantar a não ser as análises psicológicas do suposto assassino de Carlos Castro e do próprio morto.

Durante o mês em que escreveu o livro, Hernâni Carvalho reforça a história de Morrer em Times Square com vários testemunhos de modo a comprovar que o relacionamento que existia entre Carlos Castro e Renato Seabra ia mais além do que uma mera amizade. Exemplo disso foram os relatos de Helena Napoleão que esteve com o casal em Londres, de Domingos Oliveira, escultor amigo de Castro, que ouve uma conversa entre Castro e Renato dizendo que quer que Carlos vá a Cantanhede de modo a esclarecer à mãe de Seabra sobre a relação que existe entre ambos.

Apoiado em alguma bibliografia, o jornalista ouviu ainda as análises psicológicas e forenses de Paulo Sargento e Quintino Aires, que tentaram, de um modo geral, explicar as motivações para o assassinato de Carlos Castro.

Independente dos factos, pode dizer-se que sim, agora imparcial, o autor não foi. Com o estilo muito próprio a que tem habituado os leitores (a mim pela primeira vez) e espectadores, Hernâni Carvalho dá a sua opinião sobre os factos, estando longe de ser imparcial, pelo menos a meu ver.
likeflag

Sign into Goodreads to see if any of your friends have read Morrer em Times Square.
sign in »

Reading Progress

06/02/2011 page 74
43.0%

Comments (showing 1-2 of 2) (2 new)

dateDown_arrow    newest »

message 1: by Deana (new)

Deana Barroqueiro Há oportunismos repugnantes no mundo dos livros e este parece-me óbvio. Como é que se consegue escrever um livro "com pesquisa" em um mês, como li (hoje de manhã) que este jornalista fez? Há cada vez mais escritores, porque, pelos vistos, escrever um livro é facílimo, quase como fazer um hamburger. Eu é que devo ser uma péssima escritora, porque raramente consigo acabar um livro em menos de três anos! Mas são os livros destes autores jornalistas que têm visibilidade e promoção assegurada pelos seus colegas em todos os media e aparecem com em grande destaque em todas as livrarias. Este não vai ser excepção, até é capaz de ser um best-seller, porque eles dizem que é disto que os portugueses gostam. É?


Maria Deana faço minhas as suas palavras. De facto, este senhor nada acrescentou ao que saiu e vem saindo nas revistas pelo que, qualquer pessoa, e repito, qualquer pessoa, podia ter escrito este livro. De facto, é injusta tamanha publicidade a este livro, quando há tantos e tão bons escritores que não têm publicidade alguma quando publicam os seus livros e que tanta qualidade têm.
Não sei se é disto que os portugueses gostam. Os portugueses gostam de coisas boas, mas também são bastante influenciáveis. Penso que se se publicitasse mais outros géneros literários os portugueses também leriam outros livros não lhe parece?


back to top