Ne's Reviews > A Princesa Guerreira

A Princesa Guerreira by Barbara Erskine
Rate this book
Clear rating

by
5407834
's review
Dec 09, 2011

did not like it
Read in May, 2011

Tal como li na opinião de alguém recentemente, ao longo do livro comecei a gostar mais da história do Passado do que da do Presente. Esta dualidade entre dois espaços temporais já não é uma novidade no mundo literário e por isso a originalidade acabou por não estar presente e por isso não contribuir positivamente para o livro.
Penso que Barbara Erskine prejudica a obra com aspectos tão básicos como os diálogos e as relações e ligações entre certas personagens. Tanto os diálogos como personagens como Jess ou Dan tornam-se um pouco forçados e mal desenvolvidos, tal como os acontecimentos em que estão envolvidos... que são muitos.
Por outro lado, a história de Eigon é muito mais fluída. Os cenários estão muito bem descritos, tal como os encontros e desencontros. Não percebi, por isso, o porquê da divergência a nível de escrita e de conteúdo nos dois tempos, visto que a autora só é uma.
Os pontos mais positivos para mim foram a linguagem eloquente e rica, a abundância de cultura e referências tanto romanas, como italianas e latinas, e os maravilhosos cenários romanos.
Quase nas últimas páginas há um acontecimento que discordo particularmente: quando os corpos de Commios e Drusilla são enterrados como se fossem um casal (e a escritora pressiona bastante este ponto) quando até à sua morte não houve nenhum acto ou referência romântica em relação a estas duas personagens. Sim, Drusilla estava apaixonada por Commios, mas isso não os torna um casal, visto que o sentimento era unidireccional. E este facto é bastante claro no último terço do livro.
A prisão de Dan também me pareceu muito abstracta e não concordei com a ausência dessa cena, visto que Barbara Erskine lhe deu tanto protagonismo ao longo de toda a obra.
Achei também o número de mortes um pouco exageradas, como se a autora não soubesse o destino a dar-lhes e por isso eliminava-as assim. Mais uma vez a falta de originalidade está presente.
Além do "desaparecimento" das personagens há também a questão do entrar em cena de algumas. Isto é, personagens como a mãe de Jess, Mega, Meryn e Gort, são exemplos de personagens que surgiram mais ou menos como que "caídas do céu", para além do seu contributo para a história ser quase nulo, ou para servir só, como as mortes referidas anteriormente, como meios para "resolver" certas situações. No caso de Meryn é evidente que só foi criada pela autora para ele encontrar Jess, que por sua vez também tinha desaparecido de repente e sem qualquer contexto. São por isso personagens que surgem quase ou mesmo no final para forçar um desenlace e um final, o que destrói, a meu ver, o desenrolar natural da história.
O título é outro assunto que me intriga, visto que supostamente se refere a Eigon, por ser a única princesa, mas esta não é nem de longe guerreira. É sim uma heroína que tem sorte nos acasos e que neste caso é em muito ajudada pelo seu Deus, apesar de todas as tragédias em que se vê envolvida.
Concluindo, a base d'A Princesa Guerreira é bastante boa e incomum, mas é diluída nas falhas tanto a nível da construção de diálogos como do mistério e suspense que a escritora tenta criar.
flag

Sign into Goodreads to see if any of your friends have read A Princesa Guerreira.
Sign In »

No comments have been added yet.