Natacha Martins's Reviews > O Evangelho do Enforcado

O Evangelho do Enforcado by David Soares
Rate this book
Clear rating

by
3313230
's review
Dec 27, 10

bookshelves: 2010
Read from July 26 to August 03, 2010 — I own a copy

Confesso desde já a minha dificuldade em opinar sobre este livro. Tenho sentimentos ambíguos em relação a ele, ambiguidade essa que não passa por gostar ou não gostar, passa sim, por gostar, mas com reserva porque é um livro violento, cru e muitas vezes chocante. Por isso tenho pudor em afirmar que gostei muito, porque sinto alguma repugnância pelo livro. Não sei se fui clara. Provavelmente só quem já leu perceberá a que me refiro. :)

Em O Evangelho do Enforcado temos a história, ficcionada, de Nuno Gonçalves, o provável autor dos Painéis de São Vicente. Provável, porque o criador de uma das maiores obras de pintura portuguesa nunca foi identificado de forma inequívoca.
Para além da vida de Nuno Gonçalves, David Soares vai-nos relatando episódios da História de Portugal, relacionados com os reinados de D. João I (O de Boa Memória), do seu filho D. Duarte I (O Eloquente ou o Rei Filósofo) e, por último do neto, D. Afonso V (O Africano). A fantasia e a realidade estão muito bem misturadas, sem que no entanto se confundam. A linha entre as duas está muito bem delineada, o que para mim é positivo, porque, sendo eu leiga nestas coisas da História, não corro o risco de adquirir falsos conhecimentos e de, no futuro, cometer gafes históricas. ;)

É um livro muito original que denota um conhecimento profundo da época. Apresenta uma teoria interessante sobre os Painéis de São Vicente, mas também sobre a peste bubónica (seria mesmo peste bubónica?) que assolou o país e o mundo durante séculos e sobre a História de Portugal e de Lisboa do século XV. Gostei da escrita, por vezes de tal maneira realista que senti, algumas vezes, vontade de fechar os olhos ou de ler depressa para que acabasse rápido o que estava a ser descrito. É a tal repugnância de que falei no início deste post... :/ Gostei das descrições da Lisboa do século XV. O exercício de tentar imaginar a minha Lisboa naquela época é praticamente impossível. A Lisboa, os seus habitantes e seu modo de vida, na forma como são descritos no livro, são fascinantes! :) Gostei das personagens, principalmente o Nuno Gonçalves e, destaco o conjunto forte e coeso que todas as outras personagens formam.
Gostei, de no final do livro, já terminada a história, o autor explicar algumas opções que tomou, relativamente aos factos históricos que referiu ao longo do livro. Para além de didáctico ajuda a esclarecer alguns pontos.
E porque o livro não é perfeito houve uma outra coisa que me agradou menos. Incomodou-me haver tantas frases em latim, ao longo do texto, sem tradução. Embora percebendo o propósito da coisa, não deixei de ficar com a sensação que me estavam a esconder alguma coisa. :) Por último, embora tenha gostado das partes que se referiam à vida na corte, estas afastam demasiado o leitor da história do Nuno Gonçalves e, eu gostava de ter acompanhado mais a vida dele e menos a dos Infantes, Reis, etc. Pessoalmente teria gostado de uma história mais centrada na personagem do Nuno Gonçalves.

Concluindo: não é uma leitura fácil, mas é surpreendente e, de uma forma um pouco retorcida, é cativante e empolgante. Recomendo, com a ressalva de poder ser menos adequado a pessoas sensíveis. :)
2 likes · likeflag

Sign into Goodreads to see if any of your friends have read O Evangelho do Enforcado.
sign in »

Comments (showing 1-3 of 3) (3 new)

dateDown_arrow    newest »

Elisabete É um livro do David Soares... O estilo é duro, mas a escrita é fabulosa como sempre. Tenho-o aconselhado vivamente. Foi o livro do David Soares que achei mais fácil de ler.


Natacha Martins Mais fácil de ler?! Os outros devem ser assustadores, no bom sentido. :) Fiquei com vontade ler mais livros dele e vou fazê-lo de certeza.


Elisabete Bom dia. Sim, achei fácil. Eu sugeria " A Conspiração dos Antepassados". O que eu gosto no David Soares é o estudo prévio que faz das personagens reais. Quando li "A Conspiração dos Antepassados" achei que o Fernando Pessoa deveria ser mesmo assim :) Recomendo! "Os Ossos do Arco-Iris" já não lhe recomendo tão vivamente, pois é horror puro.


back to top