quote

Manuel Bandeira > Quotes > Quotable Quote

Manuel Bandeira

“Desencanto

Eu faço versos como quem chora
De desalento... de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente...
Tristeza esparsa... remorso vão...
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.

E nestes versos de angústia rouca
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.

- Eu faço versos como quem morre.”


Manuel Bandeira
Read more quotes from Manuel Bandeira


Share this quote:

Friends Who Liked This Quote


To see what your friends thought of this quote, please sign up!

All Quotes | My Quotes | Add A Quote

Play The 'Guess That Quote' Game



Browse By Tag

More...