Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Macunaíma” as Want to Read:
Macunaíma
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Macunaíma

3.53  ·  Rating Details ·  1,800 Ratings  ·  51 Reviews
Mario de Andrade publicou 'Macunaíma' em 1938. Por falta de editora, a tiragem do romance foi de apenas oitocentos exemplares, mas o livro foi festejado pela crítica modernista por sua inovação narrativa e de linguagem. Macunaíma é o herói sem caráter, símbolo de um povo que não descobriu sua identidade. Uma releitura do folclore, das lendas e mitos do Brasil, escrita numa ...more
Paperback, 126 pages
Published January 1st 1997 by Villa Rica (first published 1928)
More Details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Macunaíma, please sign up.

Be the first to ask a question about Macunaíma

This book is not yet featured on Listopia. Add this book to your favorite list »

Community Reviews

(showing 1-30)
filter  |  sort: default (?)  |  Rating Details
Nathan "N.R." Gaddis
Then the love-sick girl opened a window giving onto the lonely Pacaembu Forest and said, "I'm going to ask you three riddles, and if you can guess the right answers, I'll get you away safely. Tell me: What is it that is long and round, has a hole in the middle, goes in hard and comes out soft, satisfies everyone's taste and is not a dirty word?"
"Oh, come now! That's not polite!"
"Stupid! It's...it's...macaroni!"
"Uh-uh! So it is! Pretty good, that one!"
"Now then, what about this? Where is the plac
...more
Maira Moura
Apr 28, 2013 Maira Moura rated it it was amazing  ·  review of another edition
I've found Woody Woodpecker in Brazilian literature!

(view spoiler)
Carolina Morales
Feb 22, 2013 Carolina Morales rated it did not like it  ·  review of another edition
Muita gente considera esse livro trabalho de um gênio; eu só considero qênio quem termina o romance sem querer socar o Mário de Andrade, quatro-olhos maldito que passou um mês deitado em uma rede para a gente depois ser obrigado a ler essa "obra de arte". Exceto como dicionário de Filologia para termos de cultura indígena, não vejo guandes méritos nessa alegoria óbvia do caraáter dos heróis de nossa gente, Macunaíma e seus irmãos Jiguê e Maanape.
Guilherme Martins
Jun 06, 2013 Guilherme Martins rated it really liked it  ·  review of another edition
Quer sofrer um impacto? Achar-se constantemente sem jeito ao ler um livro? Macunaíma O Herói Sem Nenhum Caráter fornece isso. Passa de longe das outras obras cujo romance se apresenta "melhor" articulado. De forma bastante inovadora e rápida, a narração sobre a vida de Macunaíma vai sendo mostrada em diversas situações (muitas vezes humorísticas e irônicas) e, paralelamente, (des)construindo uma visão focada na formação da identidade brasileira; seja na criação de mitos, seja na criação de gíria ...more
Luiz Filipe Tavares
Oct 09, 2012 Luiz Filipe Tavares rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: novels
Macunaíma é um atentado contra o românce indianista. Um intrincado, poético e brutal atentado contra a tradição de Gonçalves Dias e José de Alencar. Ler Macunaíma é ver alguém pintar chifres no Cristo da Última Ceia e rir-se de admiração quando o resultado final supera o original. Relê-lo foi reviver aos risos cena do Coringa de Jack Nicholson atacando de Banksy e depredando o museu de Gotham. Salve a Monalisa de bigodes!
Flávia
Sep 19, 2011 Flávia rated it did not like it  ·  review of another edition
ai... que preguiça!
Fernanda Grabauska
Ainda um clássico do deboche a si e à pátria.
Newton Nitro
Jan 12, 2015 Newton Nitro rated it it was amazing  ·  review of another edition
No meio da leitura dos livros de contos do Rubem Fonseca Amálgama (2013), Feliz Ano Novo (1975), O Buraco na Parede (1995), O Cobrador (1979) e Pequenas Criaturas (2002), dos quais vou fazer uma resenha inteira usando a experiência de ler em sequência, deu uma paradinha para aproveitar que a minha esposa escritora resolveu ler Macunaíma, para ler uma das obras primas do Modernismo Brasileiro, a saga do herói sem caráter de Mário de Andrade. Ter um parceiro de leitura, uma pessoa que lê o mesmo l ...more
Leandro Guimarães Faria Corcete DUTRA
Livro muito difícil de entender sem notas extensas.
Joao Aroucha
Feb 23, 2012 Joao Aroucha rated it did not like it  ·  review of another edition
One of the worst books I had to read. One of the three books that I haven't finished after starting. I skipped a lot of pages in order to get to the end.

Um dos piores livros que já fui obrigado a ler na época do colégio. Pulei várias páginas para chegar ao final.
É um dos três livros que eu desisti de ler após ter começado.

Joe Milazzo
Jan 20, 2016 Joe Milazzo rated it it was amazing  ·  review of another edition
A true work of genius, this novel is both wildly inventive (it holds so many stories!) as well as an expression of that spirit which makes Brazil geographically and culturally distinctive. At the risk of sounding like a blurb, or the pitch line in an agent query letter: think Rabelais in the rain forest.
Johnny Shea
Jul 26, 2007 Johnny Shea rated it really liked it  ·  review of another edition
Recommends it for: anyone looking for something crazy
mythical, magical and wild. Brazilian moderism at its best. Anyone with a taste for the funky would feel this one. I think its out of print now - but there seem to be a lot of used copies floating around the net...
Strawberry
May 23, 2016 Strawberry rated it did not like it  ·  review of another edition
Hated it.
Sarah Sammis
A Brazilian trickster story.
Filipi
Aug 03, 2015 Filipi rated it it was amazing  ·  review of another edition
Pouca saúde e muita saúva, os males do Brasil são!
Paulo Gomes
Nov 02, 2016 Paulo Gomes rated it it was amazing  ·  review of another edition
Mário de Andrade esculhambou a cultura brasileira, seus mitos e lendas. Iria escrever mais, mas bateu uma preguiça...
Bárbara Miranda
Macunaíma é um livro complicado. A intenção de Mario de Andrade é fugir do perfeccionismo do Parnasianismo, por isso o narrador não obedece à norma culta e emprega, na verdade, um padrão oral, isso pode deixar muitas pessoas incomodadas porque não estão acostumadas a ler algo assim, mas essa desobediência e satirização da língua portuguesa também gera muitos momentos engraçados, por exemplo, a troca de "versículos da Bíblia" por "testículos da Bíblia" porque Macunaíma é um índio analfabeto. Outr ...more
Artur Coelho
Dec 10, 2015 Artur Coelho rated it really liked it  ·  review of another edition
Isto é o périplo do anti-herói, pensei ao longo desta leitura cómica mas muitas vezes indecifrável. É curioso como espelha em inverso a estrutura delineada por Campbell onde um protagonista de altos valores morais viaja ao longo de sequências de aventura até concretizar o objectivo final. Aqui é o oposto. O herói é um personagem sem carácter, vivendo apenas para o seu prazer e impulsos, capaz de mentir, trair, matar, vigarizar, enganar, que deixa atrás de si um rasto de pessoas destruídas e mulh ...more
Gabriela Melo
Um personagem que representa o povo brasileiro, Macunaima é um indio (eu semprei pensei que fosse mulher, até o dia em que eu li o primeiro paragrafo do livro) que nasce muito feio la na floresta. Passa pelas mais diversas (e inusitadas) situações.A todo o momento ele é chamado de herói (uma piadinha com o Romantismo), mas ele é totalmente ao contrario: mentiroso, traidor além de sempre roubar as namoradas do irmão Jiguê.
Depois da morte da mãe, Macunaima e seus irmãos, Maanape e Jiguê, decidem
...more
Schokofrosch
Apr 11, 2016 Schokofrosch rated it it was amazing  ·  review of another edition
Macunaima wird als Held geboren. Als Held ohne jeglichen Charakter.

Zur Zeit des Modernismo war Brasilien auf der Suche nach der eigenen Identität. Eine Identität gelöst von dem europäischem Portugal. Doch Mario de Andrade war der Meinung, dass unteranderem auch Portugal oder Venezuela ein Teil Brasiliens sei. Genauso wie die Urwald- und auch die Stadtbewohner das Land ausmachen. So ist Macunaima mal pechschwarz wie die Stammesbewohner und mal weiß wie es von den westlichen Idealen verlangt wird
...more
Andre
Mar 31, 2016 Andre rated it liked it
What an incredible literary experience! It took me a few pages to get used to the colloquial language and the author's style, but once I did I greatly enjoyed the story. It's a patchwork of Brazilian culture, including its folklore and centered on indigenous myths. I knew a lot of the myths that were used in the book, and I love that even though some of them are creational myths, they happen in the book without a care for the timeline of the story. I guess this lack of timeline can be called Mag ...more
Erwin Maack
May 18, 2012 Erwin Maack rated it really liked it  ·  review of another edition
"Não conclui mais nada porque inda não estava
acostumado com discursos porém palpitava pra
ele muito embrulhadamente muito! que a máquina
devia de ser um deus de que os homens não eram
verdadeiramente donos só porque não tinham feito
dela uma Iara explicável mas apenas uma realidade
do mundo. De toda essa embrulhada o pensamento
dele sacou bem clarinha uma luz: Os homens é que
eram máquinas e as máquinas é que eram homens.
Macunaíma deu uma grande gargalhada. Percebeu
que estava livre outra vez e teve uma
...more
Laura
A personagem-título, um herói sem nenhum caráter (anti-herói), é um índio que representa o povo brasileiro, mostrando a atração pela cidade grande de São Paulo e pela máquina. A frase característica da personagem é "Ai, que preguiça!". Como na língua indígena o som "ai que" significa "preguiça", Macunaíma seria duplamente preguiçoso. A parte inicial da obra assim o caracteriza: "No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói de nossa gente. Era preto retinto e filho do medo da noite."
le-trombone
Sep 14, 2009 le-trombone marked it as to-read  ·  review of another edition
The old clipping I have says "First published 60 years ago, the fabulous tale of a Brazilian folk hero, now seen as the precursor of many more elaborate novels of magical realism." I'm into precursors, so on the list it goes. Clipping is for the Quartet edition, we'll see who the respective translators are.
Suellen Rubira
Nov 22, 2014 Suellen Rubira rated it really liked it  ·  review of another edition
Para muitos, um romance muito difícil, talvez "sem sentido" algum. A questão é que Macunaíma não opera na lógica da linha reta cristã ou tempo remoto grego (e divino), mas trabalha no campo da mitologia indígena, que por ser tão diferente daquilo que estamos acostumados, pode ser considerada assim tão complicada.
Fern
Oct 01, 2016 Fern rated it did not like it  ·  review of another edition
Classic-must-read-Brazilian-literature.... Hated it! Couldn't finish it! Maybe I wasn't mature enough or.... cuz I wasn't doing drugs! Cl'assico da Literaura Brasileira bl'a-bl'a-bl'a.... P'essimo! Talvez minha falta de maturidade... ou, pq nao estava usando drogas!
Fellipe Moscardini
Apr 26, 2014 Fellipe Moscardini rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: favorites
Um livro maravilhoso. Um dos melhores que já li. Macunaíma devia ser o mascote do Brasil, o grande símbolo do ser que é um cafajeste, mas que tem seu charme. Mario de Andrade realmente faz falta, principalmente nos dias de hoje. Tem mais não.
Gláucia Renata
O livro é um pouco confuso pois tem muitas palavras regionais, folclóricas, a maioria nem encontrei nos dicionários. Mas a leitura é rica e divertida e não pude deixar de me lembrar o tempo todo do pequeno Grande Otelo em sua atuação perfeita do personagem.
Hugo Fialho
Oct 21, 2012 Hugo Fialho rated it it was amazing  ·  review of another edition


Simplesmente sensacional a forma como Mário de Andrade dispõe os elementos todos em Macunaíma - aliás, salvo essa leitura, jamais poderia dizer que a literatura de realismo fantástico, surreal, psicodélica é algo que também contemplo.
Nathalie Ursini
Mar 07, 2012 Nathalie Ursini rated it it was amazing  ·  review of another edition
Simplesmente maravilhoso.
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • Morte e Vida Severina
  • Sagarana
  • Anarquistas, Graças a Deus
  • O Triste Fim de Policarpo Quaresma
  • Vidas Secas
  • Vestido de Noiva
  • Eu e Outras poesias
  • Libertinagem / Estrela da Manhã
  • Auto da Compadecida
  • Lavoura Arcaica
  • Memórias Sentimentais De João Miramar
  • A rosa do povo
  • O Encontro Marcado
  • Memórias de um Sargento de Milícias
  • O Alienista
  • Family Ties
  • Poema Sujo
  • O Menino Maluquinho
292054
Mário Raul de Morais Andrade was a Brazilian poet, novelist, musicologist, art historian and critic, and photographer. One of the founders of Brazilian modernism, he virtually created modern Brazilian poetry with the publication of his Paulicéia Desvairada (Hallucinated City) in 1922. He has had an enormous influence on Brazilian literature in the 20th and 21st centuries, and as a scholar and essa ...more
More about Mário de Andrade...

Share This Book



No trivia or quizzes yet. Add some now »