Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Budapest” as Want to Read:
Budapest
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Budapest

by
3.63  ·  Rating Details ·  2,674 Ratings  ·  123 Reviews
Perhaps Brazil’s most influential and beloved composer and musician, Chico Buarque is also a highly praised poet, playwright, and novelist. In Budapest, Buarque introduces the story of a ghostwriter who immerses himself in the Hungarian language. José Costa lives in Rio de Janeiro. Fated to remain in the shadows of his illustrious clients, Costa breaks free of this fate an ...more
Paperback, 192 pages
Published September 8th 2005 by Grove Press (first published 2003)
More Details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Budapest, please sign up.

Be the first to ask a question about Budapest

Community Reviews

(showing 1-30)
filter  |  sort: default (?)  |  Rating Details
Georgia
Jun 01, 2008 Georgia rated it really liked it
Recommends it for: David Sasaki
On the recommendation of our Portuguese language editor, several of us at Global Voices have been reading Budapest ahead of our trip to the eponymous city for our annual summit. I'll confess that in spite of being a huge fan of Chico Buarque's music, I wasn't aware that he was also a novelist, and one of considerable talent.

A meditation on the pleasures and pains of writing, of foreignness, of learning a foreign language and the maddening complexities of that thing called love, Budapest follows
...more
Lorenzo Berardi
Mar 17, 2012 Lorenzo Berardi rated it really liked it
Question:
What an Italian reading the English translation of a book written in Portuguese and by a Brazilian author pretending to be the ghost writer of a German guy and dedicated to the study of the Hungarian language is up to?

Answer:
Writing a few impressions on "Budapest" by Chico Buarque.

Composition:
This novel caught me by surprise. Of course I knew that Mr Buarque has talent, being considered one of the finest interpreters of bossanova today. A man, this Chico, who gets a high consideration
...more
Adam
Jun 17, 2008 Adam rated it really liked it
It was Chico Buarque's first sentence; "It should be against the law to mock someone who tries his luck in a foreign language," that really sucked me in. As a language learner, I know all too well the life-sucking frustration and humiliation that comes with being mocked for your efforts. It is with this honesty and candor that "Budapest," written in prose, layers the story of a Brazillian "ghost writer," José Costa. As a "ghost writer," this native of São Paulo is employed by an agency to namele ...more
Sandra
Jan 08, 2013 Sandra rated it it was ok  ·  review of another edition
Shelves: sudamerica
Una gran confusione, in due parole ecco ciò che mi ha trasmesso il libro. I temi trattati sono molteplici: per primo la tematica del doppio, che mi ha fatto pensare a Pessoa, essendo il protagonista, Joao Costa, un ghost writer brasiliano, uno scrittore che scrive romanzi di cui assume la paternità qualcun altro. Joao Costa è sposato con Vanda, che ha una gemella. Joao Costa per caso passa una notte a Budapest, a causa di uno scalo aereo forzato mentre sta tornando a casa dalla Turchia, da un co ...more
Reginacm
Sep 15, 2010 Reginacm rated it really liked it  ·  review of another edition
Recommended to Reginacm by: Maar Manso
Shelves: novel, 2010, brazil, hungary
Noemi
Jul 20, 2013 Noemi rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: 2013
Eu poderia, mas não vou atribuir exclusivamente meu deleite com Budapeste ao fato de eu também estar às voltas com o aprendizado de uma língua estrangeira. Na história, José Costa, um ghost-writer que escreve textos sob encomenda para qualquer circunstância, a partir de um rascunho ou uma entrevista breve com o interessado, vai parar na capital da Hungria e se vê desafiado a aprender o idioma magiar. Sei exatamente o que ele, quando em terras húngaras, quer dizer com vocabulário pobre e imprecis ...more
Célia Loureiro
«Budapeste: no exacto momento em que termina, transforma-se em poesia». Foi isto que li na badana do «Leite Derramado» a propósito do Budapeste e que me deixou de expectativas tão altas. Em consequência de ter lido um livro de autor brasileiro, estou novamente escrevendo a crítica nessa língua transatlântica. Devia ser proibido debochar de quem se aventura em língua estrangeira. Como eu adoro aventuras por língua estrangeira, e conheço bem os seus triunfos e embaraços, achei sublime esta primeir ...more
Paulo Sousa
Livro 2°/Dez//61°/2016

Título: Budapeste
Autor: Chico Buarque (Brasil)
Editora: @companhiadasletras
Páginas: 174
Minha classificação: ⭐⭐⭐

__________________________________________________
Chico é Chico: o colosso da música popular brasileira, autor de canções clássicas como "A banda", "Olhos nos olhos" e "O meu guri", não poderia decepcionar no terreno da literatura.
Meu primeiro contato com a literatura de Chico foi ao ler Estorvo (1991) no já distante ano de 1997. Embora ainda claudicando no terreno
...more
Rosa Ramôa
Mar 11, 2015 Rosa Ramôa rated it really liked it  ·  review of another edition
Na música e nas palavras...Um jeito mágico e indecente*

https://www.youtube.com/watch?v=txLPl...

Podemos sempre procurar "eus" em todo o lado!!!


Flávia
Jul 19, 2011 Flávia rated it really liked it  ·  review of another edition
O Chico tem a manha das palavras, das encadeações, das frases bem fornidas, mas nem por isso caio de amores por ele.
Carla
Na verdade uma releitura, coisa que raramente faço, pois há "tanto livro para ler e tão pouco tempo para o fazer"...

"Permaneci imóvel, deixando-a pensar o que quisesse, e esperei que me cuspisse na boca e me arranhasse a cara, depois me enfiasse aquelas unhas nos olhos e os arrancasse das órbitas, eu tudo suportaria. Kriska porém não ergueu as mãos, preferiu não me tocar. Respirou fundo, abriu a boca para falar alguma coisa, e senti que, com uma só palavra Krika me cobriria de vergonha, me aleij
...more
José
Sep 16, 2009 José rated it really liked it  ·  review of another edition
Um romance muito bom. A linguagem como objecto de uma história. Muitas vezes fez-me lembrar "Lost in Translation". A incomodidade dos lapsos de linguagem, dos encontros e desencontros da língua, como parte integrante da relação.

Muito bom!
Pattricia
Jul 13, 2009 Pattricia rated it really liked it  ·  review of another edition
Estou me perdendo nesta leitura...degustando cada palavra, frase... na verdade, não consegui ler os outros livros do Chico..Budapeste é o que mais me atraiu.
Leonardo Segura
Li todo numa sentada, mas até hoje não sei bem o que entendi dele. Acho que preciso pensar mais. Por uns 10 anos, quem sabe.
CecilM
Aug 08, 2014 CecilM rated it really liked it  ·  review of another edition
Escrevi esta resenha como tarefa para meu curso de português que terminei no mês de julho.

Resenha: “Budapeste” de Chico Buarque


“Devia ser proibido debochar de quem se aventura em língua estrangeira”.

Assim começa Budapeste, o excelente livro de Chico Buarque que mantém uma tensão constante entre a vida real do protagonista e as histórias por ele contadas.

José Costa, um ghost writer para quem a vida própria dele não é suficiente, escreve a vida dos outros. Assim, aparece na cena o alemão Kaspar Kr
...more
J.J. Ward
Dec 27, 2013 J.J. Ward rated it really liked it  ·  review of another edition
This is an easy, intelligent story, written in the first person. It’s only 183 pages long, printed in a reasonably large font, so probably more of a novella than a novel. Anyway, it didn’t outstay its welcome. Any longer, and it might have done.

The narrator is a ghost-writer. On his way back from a conference in Istanbul, he’s forced to make a stop-off in Budapest. After wards, he goes back to Brazil, and we learn of his relationship with Vanda, whom he marries, and with whom he has a son. But h
...more
Isabel Maia
Dec 12, 2010 Isabel Maia rated it liked it  ·  review of another edition
Shelves: mine, original
José Costa é um ghost-writer, alguém que escreve um texto (um artigo de jornal, um livro, um discurso, um trabalho académico, etc.) que depois vai ser assinado por outra pessoa. O fascínio de José por Budapeste e pelo magiar começa quando é forçado a fazer uma escala na cidade no regresso de um congresso de ghost-writers na Turquia. E é esse mesmo fascínio que o leva a viver uma louca vida dupla, ora no Rio de Janeiro com Vanda e o filho Joaquim, ora em Budapeste com Kriska e o filho Pisti, no s ...more
Moureco
Jul 27, 2011 Moureco rated it it was amazing  ·  review of another edition
José Costa é um escritor anónimo pago para produzir artigos de jornal, discursos políticos, cartas de amor, monografias e autobiografias romanceadas que outros assinam. Um dia, regressado de um congresso anónimo de escritores anónimos em Istambul, é obrigado a fazer uma escala forçada em Budapeste. Fascinado pela língua magiar, José Costa retorna à capital húngara, passando a ser Zsoze Kósta, e tornando-se amante de Kriska, a sua professora. A obsessão de dominar completamente o novo idioma, lev ...more
Luana Fortes Miranda
Nov 18, 2014 Luana Fortes Miranda rated it it was amazing  ·  review of another edition
Shelves: bresil
Peguei o livro não tanto pelo nome do autor (ou pelo sobrenome), mas mais pelo título e pela Budapest em tom pastel das utcas antigas e das pontes. O estranhamento ao húngaro, de que tenho saudades, "Zsoze Kósta" superou através de uma obsessão antropológica pela linguagem.

"Devia ser proibido debochar de quem se aventura em língua estrangeira". A conexão em Budapest do vôo de retorno ao Rio de Janeiro aguçou no escritor anônimo José Costa a inquietação de entender e representar o linguajar alhei
...more
Marisa Fernandes
Gostei em "Budapeste", depois de lhe tomar o sabor, das palavras e da escrita em português do Brasil. Num estilo musical, quase cantado e transmitido em jeito de libertação, o livro só peca pelos saltos, por vezes bruscos (no meu entender) que o autor dá na história de José Costa e da vida dupla que a dada altura este cria entre o Rio de Janeiro e Budapeste, onde o esperam duas mulheres Vanda e Kriska respectivamente.
Interessante é também o amor e a dificuldade que a personagem sente na aprendi
...more
Twodogs333
Jul 20, 2014 Twodogs333 rated it it was ok
Hmm, how do I describe this book?

I decided that I would take on the challenge of reading the World Cup of Literature presented by Three Percent, because I love soccer, I love books and hey, why not?

This was book number one hailing from Brazil. It is short, I'd even call it a novella and the translation loses nothing. The issue at hand is the book is about nothing really and the narrator is a total d-bag. I take this quote from Pseudo-intellectual reviews: "http://pseudointellectualreviews.word
...more
Lauren
Muito bem escrito, com um estilo cheio de melodia gostoso de ler. A história é interessante: as idas e vindas do José Costa entre o Rio de Janeiro e Budapeste, o estranhamento do contato inicial com a língua húngara, o processo de aprendizado.

Todo leitor tem uma bagagem, no meu caso minha própria história de adaptação à cultura de outro país. Essa vivência influenciou minha leitura e senti que faltou muita coisa a ser explorada - principalmente quanto à mudança de visão de mundo que se dá quand
...more
Kelle
Feb 10, 2012 Kelle rated it really liked it  ·  review of another edition
José Costa é um ghost writer brasileiro que produz textos, livros e artigos que outros assinam. É casado com Vanda, mas a chama há muito que se apagou. Numa viagem atribulada para Istambul vê-se obrigado a uma escala em Budapeste, cidade pela qual se apaixona.
Estabelecendo um paralelo entre o Rio de Janeiro e Budapeste, Chico Buarque conta-nos a história deste escritor que se divide entre as duas cidades e duas mulheres.
No mesmo capítulo, o autor consegue-nos fazer atravessar o oceano várias vez
...more
Vanita
Oct 21, 2014 Vanita rated it liked it  ·  review of another edition
Como é que se lê um romance de Chico Buarque sem o peso do nome do autor? Mesmo na cidade fria de Budapeste, sente-se o gingar melodioso do português falado em tom brasileiro e da musicalidade que nos remete para o famoso cantor. Talvez por isso, a personagem principal deste romance seja um escritor fantasma - um "ghost writer" - que nunca colhe os frutos do sucesso que alcança, levando-nos a nós, leitores, a questionar o êxito do livro que carregamos em mãos, caso nos fosse apresentando sem Chi ...more
Mark Bandeira
Dec 11, 2014 Mark Bandeira rated it really liked it  ·  review of another edition
Embora de escrita um pouco confusa, o romance de Chico Buarque não deixa nada a desejar, especialmente àqueles que são apaixonados por idiomas e por comunicação como eu.

A história prende o leitor no livro e por vezes o confunde de forma tal e qual o autor prevê, fazendo que nos sintamos um pouco como Zsoze Kósta, o personagem principal.

A realidade é que Zsoze Kósta, é um personagem muito diferente do inicial José Costa. Suas personalidades são distintas, assim como suas histórias e seus gostos.

U
...more
Catarina Graça
“Devia ser proibido debochar de quem se aventura em língua estrangeira” é a primeira frase deste livro e conta a história do brasileiro José Costa, escritor fantasma, que por um imprevisto vai parar a Budapeste e fica fascinado com a língua húngara. Não fiquei fã da história em si que achei confusa mas gostei sim do amor às palavras, estrangeiras ou não, e do amor à escrita. O final é bastante estranho.

De 0 a 10 dou-lhe 5.
David Sasaki
Jul 09, 2008 David Sasaki rated it really liked it
There is an essay I plan to write in guise of book review which touches on ghostwriting, mili vanilli, hip-hop, Indian letter writing, fake steve jobs, and the alleged blog of a Caribbean head of state. If I never get to that essay, which is likely, then yes, I liked this book and I recommend it. If you read only the first half and become skeptical of recommendation, you should read on.
Larissa Tollstadius
Livro saboroso. O texto é fluído, a linguagem é simples e poética. Descobri que o Chico era escritor com esse livro. Mas enquanto lia, não me vinha a imagem do cantor/compositor. É como se o Chico escritor fosse uma outra pessoa diferente do artista famoso.

O livro me deixou com sensação de "quero ler mais textos desse autor".
Maria Rolim
Oct 06, 2012 Maria Rolim rated it really liked it  ·  review of another edition
Não podia esperar menos de Chico Buarque. Segui este livro como uma música, com algumas acelerações e reviravoltas. Ao final você nem nota que já acabou e fica ecoando na sua cabeça. Se leu e se interessou outros livros dele, este não irá decepcioná-lo. Contudo, ao não apreciar outros, não aconselharia a leitura. Só não dou cinco estrelas por amar ainda mais Leite Derramado.
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • A Rainha Ginga E de Como os Africanos Inventaram o Mundo
  • Memorial de Aires
  • Antología Poética
  • O Triste Fim de Policarpo Quaresma
  • Viva O Povo Brasileiro
  • O Caso Morel
  • Para Onde Vão Os Guarda-Chuvas
  • Antologia Poetica
  • Debaixo de Algum Céu
  • Cartas de um Sedutor
  • The Last Will & Testament of Senhor da Silva Araújo
  • Morte e Vida Severina
  • Mau Tempo no Canal
  • Nine Nights
  • Sinais de Fogo
  • O Retorno
  • Borges and the Eternal Orangutans
  • Cinzas do Norte
33620
Francisco Buarque de Hollanda is popularly known as Chico Buarque, is a singer, guitarist, composer, dramatist, writer and poet. He is best known for his music, which often includes social, economic and cultural commentary on Brazil and Rio de Janeiro in particular.

Son of the academic Sérgio Buarque de Hollanda, Buarque lived in several locations throughout his childhood, though mostly in Rio de J
...more
More about Chico Buarque...

Share This Book



“(Hungarian...) the only tongue the devil respects” 11 likes
“De tanto me devotar ao meu ofício, escrevendo e reescrevendo, corrigindo e depurando textos, mimando cada palavra que punha no papel, não me sobravam boas palavras para ela.” 6 likes
More quotes…