Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Não Te Deixarei Morrer, David Crockett” as Want to Read:
Não Te Deixarei Morrer, David Crockett
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Não Te Deixarei Morrer, David Crockett

3.35  ·  Rating Details ·  411 Ratings  ·  19 Reviews
Para além dos textos de ficção inéditos, este livro de Miguel Sousa Tavares reúne textos que ao longo dos anos foram publicados na revista Máxima e noutros lugares.
As "Short Stories" que pela primeira vez vão ser vistas por outros olhos: A Passagem, A Fidelidade, O Espião que ficou no frio, Nova York-Lisboa e O Velho de Alcântara Mar. O próprio autor explica na Nota Prévia
...more
Paperback, 176 pages
Published 2001 by Oficina do Livro
More Details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Não Te Deixarei Morrer, David Crockett, please sign up.

Be the first to ask a question about Não Te Deixarei Morrer, David Crockett

Community Reviews

(showing 1-30)
filter  |  sort: default (?)  |  Rating Details
Carla
Jan 05, 2015 Carla rated it really liked it  ·  review of another edition
“Não te deixarei morrer, David Crockett” é um conjunto de crónicas de Miguel Sousa Tavares reunidas sob um denominador comum: As memórias nostálgicas do que foi e já não é mas que teimosamente insiste em sobreviver à passagem do tempo, qual tesouro sepultado em parte incerta revelado, por entre teias de aranha e pó, por um fiel guardião que cuidadosamente vela pela sua perpetuidade.
O autor arrebata-nos para junto de si num tom intimista e confessional onde não raras vezes nos dá a conhecer fatos
...more
Rosa Ramôa
Mar 03, 2015 Rosa Ramôa rated it it was amazing
*E escrevi o teu nome*

E escrevi o teu nome e o teu número de telefone numa página da agenda do mês de Fevereiro. E, ao escrevê-lo, sabia que era uma despedida, mas todo o mês de Março nos arrastamos na despedida, como caranguejos na maré vazia. Sem ti, lancei outras raízes, construí pátios e terraços, fontes cujo som deveria apagar todos os silêncios, plantei um pomar com cheiro a damasco, mandei fazer um banco de cal à roda de uma árvore para olhar as estrelas do céu, um caminho no meio do oliv
...more
Maria João
Aug 02, 2016 Maria João rated it really liked it  ·  review of another edition
7,5 de 10*

Li uma primeira edição deste livro há uma série de anos atrás, requisitado na biblioteca. Antes de o reler agora, confesso que praticamente não me lembrava do seu conteúdo, mas tinha a ideia de ter gostado desta primeira leitura.
Este livro é uma compilação de crónicas, algumas delas publicadas na revista Máxima, outras inéditas ou publicadas noutros locais. Tratando-se de crónicas, tal como me acontece com os contos, tenho sempre alguma dificuldade em me sentir agarrada a este tipo de
...more
Filipe Miguel
Sep 08, 2011 Filipe Miguel rated it really liked it
Fui deixando andar este "Crockett" na estante dos livros a ler, desde que me foi oferecido em 2001. Com toda a certeza, qualquer leitor que o seja por paixão, terá um sem número de livros em espera, todos a piscar o olho para serem o próximo a partilhar bons momentos connosco.

Tenho de reconhecer que fui tremendamente injusto com o "David". Devia ter-lhe dado a mão mais cedo.

Não sou grande apreciador de contos, apesar de lhes reconhecer mérito. Afinal, para serem apelativos, em poucas páginas, te
...more
Cat
May 23, 2014 Cat rated it liked it  ·  review of another edition
Shelves: read-in-2014, pdf
Não te deixarei morrer, David Crockett é uma coletânea de pequenas crónicas escritas por Miguel Sousa Tavares. Como já escrevi noutras resenhas, este não é o meu estilo favorito de livro. Gosto de histórias, sim, mas gosto ainda mais de histórias que me prendam. E isso nem sempre é possível.

Posto isto, neste livro houve histórias que gostei mais do que outras, sendo que algumas me tocaram particularmente.

Dou três estrelas exactamente por isso.
Marco Caetano
May 05, 2011 Marco Caetano rated it liked it
Nunca tinha lido um livro de crónicas, ou contos se preferirem. Uma vez comecei a ler "Pisar o risco" de Salman Rushdie, mas acabei por desistir (acontecimento extremamente invulgar em mim). Achei importante fazer esta pequena introdução para que se perceba que, pelo menos para já, este tipo de livros não está no meu top de preferências.


Considero o Equador e Rua das Flores, dois excelentes romances, sendo o primeiro, na minha opinião, um dos melhores romances portugueses deste pequeno século. Mi
...more
Marisa Fernandes
Aug 10, 2016 Marisa Fernandes rated it really liked it  ·  review of another edition
Para quem aprecia tanto como eu o som do mar, do rio e do vento, os momentos solitários de introspecção, as pequenas-grandes coisas desta vida e tem em Sophia de Mello Breyner Andresen (sua mãe) uma das suas escritoras favoritas vinda das memórias de infância, é impossível não gostar do estilo de escrita adoptado por Miguel Sousa Tavares quando decide escrever um livro de crónicas e contos.

Este é o segundo que leio do estilo, quarto que leio do autor e posso dizer que adorei. Valeu a pena ter d
...more
Claudio Costa
Sep 29, 2011 Claudio Costa rated it liked it
Na verdade a classificação aqui é de 3.5/5.0.

Sendo um livro de contos (ou artigos), o gostar ou não é o resultado de uma média +- ponderada de cada um deles, já que coerência entre eles também não é suposto haver.
A premissa é boa: encarar a vida adulta mantendo o espírito do David Crockett que todos temos (ou já tivemos) dentro de nós, aquela infância ingénua e corajosa em que nós somos os heróis e queremos viver tudo o que existe, seja isso uma viagem à aventura ou os ruídos que se escondem nas
...more
João Miranda
Oct 31, 2016 João Miranda rated it really liked it
Shelves: own, favorite, 4-stars
Na altura em que li este pequeno livro, recordo-me de pensar nele como um achado. Rápido e acessível, e com uma qualidade que não conhecia, muito por culpa de críticas, a meu ver, algo injustas. Nunca tinha lido Miguel Sousa Tavares e não me arrependi. Num estilo que eu aprecio, diversos textos isolados em jeito de crónicas, lembranças de vida e ficção de bolso, a escrita levou-me a ocasiões que nunca vivi e a situações que me pude rever.

Se arranjarem um tempo e a vontade para ler algo num regi
...more
Diego
May 10, 2010 Diego rated it it was amazing
Después de leer Equador, este librito no desentona nada. Sousa Tavares logra expresar con claridad sus ideas y sentimientos, cosa rara en nuestros días. Creo que decir sobre él que es un escritor del siglo xix, es un elogio, porque sobrevive con éxito. Sabe hechizar la realidad y volverla o épica o lírica sin tener que acudir a recursos que complican la lectura. Es un gran escritor y espero que siempre continúe a serlo "à antiga" como diría Miquelina, la pintora.
El mundo de su infancia, especia
...more
Carmen
Jul 29, 2012 Carmen added it
Shelves: 2006
Este é o primeiro livro que leio deste autor, cujas crónicas aprecio bastante. E este livro não são mais que crónicas, histórias curtas, a maior parte publicada na revista Máxima.

Enquanto me preparo para atacar o Equador um dia destes, deixei-me deliciar por algumas notas que entendi como biográficas, e principalmente pelos contos: Viagem, Nada é mais perigoso que o silêncio e A passagem.

Fica uma self note:
“Um amor feliz precisa do turbilhão das palavras, das frases aparentemente inúteis e sem s
...more
Tita
Ao contrário de "Equador" e "O Rio das Flores", este é um pequeno livro de contos/textos, cada um com um tema especifico.
A maioria dos textos cativaram-me bastantes, com histórias e temas que poderão ser bem reais, com um toque de solidão. Em alguns deles até quase que senti que poderiam ser auto-bibliográficos, quem sabe se não serão?
E em alguns, achei que a história teria potencial para um livro próprio.
Quero salientar que por norma não leio muito livros de contos, principalmente porque chego
...more
Nelson Miguel Bandeira
Um dos melhores exemplos da crónica íntima em português, 'Não te deixarei morrer, David Crockett', de Miguel Sousa Tavares, dança maravilhosamente (‘E ela dança’ é, precisamente, uma pérola da crónica em português) entre o jornalismo, a crónica, o diário e a poesia lírica, mantendo uma contenção que nos segura, nos liberta e agrada. ‘Vou levar o meu filho às Antas’ é um exemplo perfeito desse balanço literário entre o quotidiano mais comezinho e o lirismo poderoso. Agora, neste Verão de 2016, fo ...more
Miguel Gouveia
Jan 03, 2014 Miguel Gouveia rated it liked it
MST tem todas as características para ser um autor que eu detestaria, nomeadamente pela sua postura contundente para com a Madeira e os madeirenses. Apesar disso, gostei desta colectânea de artigos de jornal onde o articulista mantém um registo introspectivo e desinibido numa escrita fluída e entrecortada de alguns episódios romanceados da sua vida e de vidas paralelas.
Apesar de alguns laivos de sobranceria genealógica que o autor verte nesta obra é todavia uma leitura interessante que desafia a
...more
Ricardo Ribeiro
Feb 19, 2013 Ricardo Ribeiro rated it really liked it
Conefesso: sou daqueles que acreditam que cada macaco no seu galho, a César o que é de César e outras coisas assim. Por outras palavras, BD é BD, um filme é um filme; e crónicas para uma revista são crónicas para uma revista e livros são livros. Portanto, não é com bons olhos que vejo livros com artigos escritos para uma revista e por ai em diante. Mas fã da prosa deste autor decidi ler. E no final nada mudou, foi tal e qual o que esperava: não são textos para fazerem um livro mas a maioria dele ...more
Sofia Paixão
Jun 23, 2014 Sofia Paixão rated it it was amazing
Shelves: adult-life
"E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instintos e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão que tudo podia ser meu para sempre." Estrondoso.
Rosalinda
Aug 21, 2013 Rosalinda rated it really liked it  ·  review of another edition
Apesar de ter algumas crónicas mais longas que o normal e a tocar o desinteressante, a maior parte delas são deliciosas e apetece ler e reler para sentir vezes sem conta aquele arrepio que vem quando se leem coisas bonitas, e que este senhor me sabe provocar tão bem.
Olga Almeida
Olga Almeida rated it liked it
Jan 08, 2014
Paula Mendes
Paula Mendes rated it liked it
Sep 15, 2012
Carolina Guedes
Carolina Guedes rated it liked it
Sep 21, 2014
Patrícia
Patrícia rated it liked it
Nov 10, 2013
Ana Neves
Ana Neves rated it really liked it
Dec 10, 2012
Floriano Esparteiro
Floriano Esparteiro rated it liked it
Mar 16, 2016
Emidia
Emidia rated it liked it
Jan 18, 2011
Joana Fernandes
Joana Fernandes rated it really liked it
Jun 28, 2014
Gergana
Gergana rated it liked it
Apr 30, 2015
Alcides Bizarro
Alcides Bizarro rated it really liked it
Sep 13, 2014
Joao Almeida
Joao Almeida rated it really liked it
Jul 08, 2014
Paula Lopes
Paula Lopes rated it liked it
Oct 28, 2012
Rui Cavaco
Rui Cavaco rated it really liked it
Jun 07, 2016
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • O Anjo Branco
  • O Funeral da Nossa Mãe
  • Morreste-me
  • Inverno de Sombras
  • No Meu Peito Não Cabem Pássaros
  • Cão Como Nós
  • O Livro Do Ano
  • Novas Crónicas da Boca do Inferno
  • África Acima
  • La Flor Mas Grande del Mundo (Historias Para Dormir)
  • Marquesa de Alorna
  • História de Portugal
  • Novos Contos Da Montanha
  • Fica Comigo Esta Noite
  • O Senhor Valéry (O Bairro, #1)
  •  Um Cappuccino Vermelho
  • A Sport of Nature
  • Venenos de Deus, Remédios do Diabo
25322
Miguel Sousa Tavares is a portuguese journalist and was born in Porto, on the 25th June 1952. His mother, Sophia de Mello Breyner, was a poetess and his father, Francisco de Sousa Tavares, a lawyer and a journalist. After taking the Law course, he carried advocacy during twelve years, but left it permanently to become a full time journalist.
He first appeared at television in 1978, by entering the
...more
More about Miguel Sousa Tavares...

Share This Book



“Nada é eterno nem adquirido, tudo é fugaz e passageiro. A ilusão - seja a de felicidade ou a de tristeza - é acreditar num horizonte fechado, ao alcance da vista, que ignora ou finge ignorar os horizontes sucessivos que estão para além do imediato.” 4 likes
“ Um amor precisa de um turbilhão de palavras, das frases aparentemente inúteis e sem sentido, de elogios, do ruído das banalidades. Não há felicidade que seja tantas vezes fútil, tantas vezes inútil.” 2 likes
More quotes…