Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Lira dos Vinte Anos” as Want to Read:
Lira dos Vinte Anos
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Lira dos Vinte Anos

3.73 of 5 stars 3.73  ·  rating details  ·  254 ratings  ·  6 reviews
Em Lira dos Vinte Anos, a ironia e o humor alternam com o sentimentalismo e o pessimismo. Com esse livro, Álvares de Azevedo inventou um novo estilo e um novo tema para a poesia do tempo: o ultra-romantismo (byronismo) e o mal do século (tédio, solidão noturna, amor insatisfeito). Esse seria o aspecto sentimental e supostamente sincero de sua obra, como se observa em "Lemb ...more
Paperback, 420 pages
Published 2008 by Atelie (first published January 1st 1853)
more details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Lira dos Vinte Anos, please sign up.

Be the first to ask a question about Lira dos Vinte Anos

Community Reviews

(showing 1-30 of 387)
filter  |  sort: default (?)  |  rating details
André Mendes
Meio inconstante, com algumas pérolas no meio de um montão de poemas mais ou menos. Vale pra quem é fã.
Gabriela Melo
Poeta consagrado da segunda geração do Romantismo, Álvares não chegou a ver a publicação de sua obra – prima. Lira dos vinte anos reúne vários poemas deste autor, que não chegou a completar 21 anos de vida.
Sempre citando Byron, Goethe, Alighieri, Victor Hugo e Shakespeare, os poemas foram divididos em três partes:
Na primeira parte (Ariel) o autor apresenta seus primeiros poemas, Revela – se um conjunto de contradições, o que faz parte do ultrarromantismo. Além de falar sobre o próprio ato de f
...more
Carrie M.
Amo esta compilação, que reúne a nata da obra de Alvares de Azevedo. Humor, paixão e muito engenho criativo se entrelaçam em um dos mais expressivos autores românticos do Brasil.
Julia Boechat Machado
Poemas escritos pelas duas faces do autor: o romântico Ariel e o irônico Caliban, inspirados pela peça de Shakespeare.
Lucas Pinheiro Silva
A primeira parte é uma chatisse incrível. A segunda é muito boa e a terceira bem agradável.
Fernando
Releitura obrigatória.
Bárbara Gambera
Bárbara Gambera marked it as to-read
Apr 15, 2015
Otávio Al'ban
Otávio Al'ban marked it as to-read
Apr 06, 2015
Vanessa Monteiro
Vanessa Monteiro marked it as to-read
Apr 03, 2015
Naoise
Naoise is currently reading it
Apr 01, 2015
Janaina
Janaina marked it as to-read
Mar 22, 2015
Luís Blue B.
Luís Blue B. marked it as to-read
Mar 04, 2015
Thiago
Thiago marked it as to-read
Feb 27, 2015
Gabie
Gabie marked it as to-read
Jan 25, 2015
Rafael Campos
Rafael Campos marked it as to-read
Jan 19, 2015
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 12 13 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • A Rosa do Povo
  • Libertinagem / Estrela da manhã
  • Lavoura Arcaica
  • A Vida Como Ela É...
  • Sagarana
  • O Guarani
  • O Triste Fim de Policarpo Quaresma
  • Eu e Outras poesias
  • Amar, Verbo Intransitivo
  • Morte e Vida Severina
  • As Meninas
  • Antología Poética
  • A Escrava Isaura
  • Rebellion in the Backlands
  • O Grande Mentecapto
  • O Menino Maluquinho
  • Memórias de um Sargento de Milícias
  • Morangos mofados
413594
Alvares de Azevedo was a writer of the second brazilian romantic generation, also called Byronian generation. He spent his childhood in Rio de Janeiro where he began his studies. He came back to Sao Paulo to start on his Law School where he became known for his brilliant writings. He had the ability to learn languages easily and was recognized for his young and sentimental spirit. He couldn't fini ...more
More about Álvares de Azevedo...
Noite na Taverna Macário Noite na taverna / Macário Noite na taverna e Poemas escolhidos (de Lira dos vinte anos) Melhores Poemas de Álvares de Azevedo

Share This Book

“Foi por ti que num sonho de ventura
A flor da mocidade consumi...
E às primaveras disse adeus tão cedo
E na idade do amor envelheci!”
4 likes
“Sabe Deus se te amei! sabem as noites
Essa dor que alentei, que tu nutrias!
Sabe este pobre coração que treme
Que a esperança perdeu porque mentias!”
3 likes
More quotes…