Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “Vinte e Zinco” as Want to Read:
Vinte e Zinco
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

Vinte e Zinco

3.73  ·  Rating Details ·  174 Ratings  ·  13 Reviews
Numa pequena cidade do Moçambique colonial a violência sustenta um mundo dividido – o dos naturais, em baixo, e, sobre ele, o peso do opressor. De súbito, lá longe, na capital do Império, a terra treme, o pilar da sustentação abate-se, e na pequena cidade colonial o efeito é catastrófico. Das profundezas ergue-se o novo mundo. Do velho salvar-se-á alguém?
Paperback, 101 pages
Published 1999 by Editorial Caminho
More Details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about Vinte e Zinco, please sign up.

Be the first to ask a question about Vinte e Zinco

This book is not yet featured on Listopia. Add this book to your favorite list »

Community Reviews

(showing 1-30)
filter  |  sort: default (?)  |  Rating Details
Mariana
Dec 26, 2013 Mariana rated it it was amazing
Shelves: favorites
Onde estavas tu Mia Couto? Senhor de uma escrita incrível, complexa, simples, profunda, bela e original?
A história deste livro está muito longe de ser uma obra prima, apesar de cumprir na plenitude o seu propósito: apresentar-nos um Moçambique rural em Abril de 1974 e a estranha relação que (des)une portugueses e moçambicanos.
Mas a escrita deste autor conquistou-me de tal maneira que não consegui pousar o livro até o terminar.

Venham mais livros deste grande artista!
Maar
Jan 03, 2010 Maar rated it it was amazing
"Vinte e cinco é para vocês que vivem nos bairros de cimento. Para nós, negros pobres que vivemos na madeira e zinco, o nosso dia ainda está por vir"
Rosa Ramôa
Jan 17, 2015 Rosa Ramôa rated it really liked it
VINTE E ZINCO foi publicado em Portugal,em 1999.


Vinte e cinco é para vocês que vivem em bairros de cimento
para nós, negros pobres que vivemos
na madeira e zinco, o nosso dia
ainda está para vir.


Sobre colonizados e colonizadores...
Sobre o impacto do 25 de Abril no território colonial!
Sobre vidas.Tempos.Terras.Memórias.Negros.Brancos.
Sobre distancias que separam ou juntam pessoas.
Enredos cruzados*
Ana
Mar 25, 2015 Ana added it
Shelves: mocambicanos
25 de Abril do lado de lá, onde o sol sempre aquece a telha de zinco.
Os cinco dias antes e os cinco dias depois, o tempo passa rápido e lê-se ainda mais veloz.
Ficam as lentas memórias.
Margarida
May 13, 2015 Margarida rated it really liked it
Nesta obra de Mia Couto vivemos os dias 19 a 30 de Abril de 1974 em Moçambique. A linguagem de Mia Couto leva-nos a percorrer rapidamente as páginas deste texto, com inúmeros jogos de palavras e passagens que nos deixam a pensar no sentido real e no simbólico do que é dito. Muitas expressões ditas como o inverso (ex: "com quantos paus se desfaz uma canoa"), como que a demonstrar as relações existentes entre brancos e pretos que eram confusas e que no final parecem se inverter. É marcante a ...more
Filipe
Feb 14, 2015 Filipe rated it liked it
Um pequeno livro com um Grande tópico ...
Joana
A acção decorre numa pequena vila colonial de Moçambique, nos dias imediatamente antes e logo após o 25 de Abril de 1974. A notícia da revolução ocorrida em Lisboa vai representar uma pedrada no charco, que vai abanar completamente a rotina dos habitantes desta pequena vila e fazê-los trocar instantaneamente de posições. Os moçambicanos vêem as suas esperanças de um Moçambique independente e livre crescerem exponencialmente, enquanto os poucos colonos brancos se interrogam sobre o que fazer face ...more
melo
Jan 10, 2011 melo rated it it was amazing
"venticinque è per voi che vivete nei palazzi di cemento.
per noi, negri poveri che viviamo tra legno e zinco, il nostro giorno deve ancora arrivare"
un giorno in comune, il venticinque aprile, e due storie diverse. tre storie diverse, se si conta quella delle ex colonie portoghesi nell'Africa subsahariana.
Mia couto racconta la terza con lo stesso sguardo in cui Ken Loach ha raccontato due diversi undici settembre, solo in maniera più ironica, più africana, più visionaria: "la cecità è vedere il N
...more
Francisco
Apr 20, 2012 Francisco rated it it was ok
Eis-me a 5 dias do feriado mais importante da democracia portuguesa: essa coisa que todos amamos mas que acabamos sempre por achincalhar! A ocasião pedia uma viagem ao mundo grego e os progressos que lá se amealharam, mas não; estamos em África, e somos muita coisa: somos um cego, somos uma mãe ou uma tia doida, somos um inspetor da pide e um mecânico apaixonado.
E pertinho do Índico, em Moçambique, sabe-se da Revolução dos Cravos. E a vida melhora para alguns, e piora para outros! "Malhas que o
...more
Rolando Duran
Oct 28, 2013 Rolando Duran rated it really liked it
Una novela/poema de Mia Couto que nos lleva al umbral, a la leve línea de la revolución, cuando el orden de las cosas se sacude y en un tiempo increíblemente corto, se caen cimientos y relaciones antes impensables.

La caída del régimen colonial en Moçambique vista desde la distancia de la piel y del poder, con una impecable narración poética.
FLAMES (Mariana Oliveira & Roberta Frontini)
Um autor incrível com uma escrita inigualável. Este foi o primeiro de muitos livros dele que espero vir a ler.
Opinião completa aqui: http://flamesmr.blogspot.pt/2013/12/l...
Isaura
Nov 03, 2013 Isaura rated it really liked it
Não tão bom como se espera dum livro com um título destes ainda por cima escrito por Mia Couto. A boa escrita salva uma história apenas razoável
Margaret
Mar 16, 2014 Margaret rated it really liked it
Como este livro faz parte do circuito Bookcrossing, aqui deixo o link com a minha opinião:

http://www.bookcrossing.com/journal/1...
Sara Freitas
Sara Freitas rated it really liked it
Jun 29, 2011
Gorantitol
Gorantitol rated it liked it
Mar 23, 2011
Darkua Veiga
Darkua Veiga rated it really liked it
Oct 22, 2009
Isabel
Isabel rated it liked it
Jan 13, 2012
Clara Alves
Clara Alves rated it it was amazing
Mar 12, 2013
Micaela
Micaela rated it liked it
Oct 10, 2011
Ângela Rocha
Ângela Rocha rated it really liked it
Jun 16, 2014
Rafaela
Rafaela rated it liked it
Nov 11, 2013
João Romãozinho
João Romãozinho rated it liked it
Sep 26, 2011
Jorge Rocha
Jorge Rocha rated it really liked it
Dec 17, 2015
Sónia
Sónia rated it liked it
Aug 04, 2011
Maria
Maria rated it it was amazing
Jun 30, 2016
Tiago Gonçalves
Tiago Gonçalves rated it liked it
May 12, 2012
Nuno Prado
Nuno Prado rated it liked it
Dec 06, 2012
Davi Bote
Davi Bote rated it it was amazing
Feb 24, 2015
Tiago Pinto
Tiago Pinto rated it it was ok
Oct 17, 2014
André Mendes
André Mendes rated it really liked it
Aug 29, 2011
« previous 1 3 4 5 6 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • Barroco Tropical
  • Terra do Pecado
  • Marquesa de Alorna
  • Uma Abelha Na Chuva
  • Perguntem a Sarah Gross
  • Incontro d'amore in un paese in guerra
  • A Voz dos Deuses
  • The Keeper of Sheep
  • O que diz Molero
  • 365 Ways To Change the World: How to Make a Difference-- One Day at a Time
  • O paraíso são os outros
  • O Senhor Valéry (O Bairro, #1)
  • Jubiaba
  • 1822
  • Aesop's Fables
  • Ínclita Geração
  • La hija del Este
  • Contos
49680
(English)
Journalist and a biologist, his works in Portuguese have been published in more than 22 countries and have been widely translated. Couto was born António Emílio Leite Couto.
He won the 2013 Camões Prize for Literature, one of the most prestigious international awards honoring the work of Portuguese language writers (created in 1989 by Portugal and Brazil).

An international jury at the Zimba
...more
More about Mia Couto...

Share This Book



No trivia or quizzes yet. Add some now »

“A política é desses incêndios que se acendem na casa do outro e quem arde é a nossa casa.” 3 likes
“- Existe dois tipos de pretos: os calçados e os pretos.” 2 likes
More quotes…