Goodreads helps you keep track of books you want to read.
Start by marking “O Mandarim” as Want to Read:
O Mandarim
Enlarge cover
Rate this book
Clear rating
Open Preview

O Mandarim

3.66  ·  Rating Details ·  994 Ratings  ·  53 Reviews
O Mandarim de Eça de Queirós foi publicado em 1880 e conta a história de Teodoro, que embora não lhe falte nada, tem uma vida sempre sem dinheiro. Um dia, descobre num livro a Lenda do Mandarim, que consistia em tocar a campainha em uma certa hora de forma que um mandarim morresse, deixando toda a riqueza para quem tocasse a campainha. O Diabo instiga Teodoro a tocá-la e, ...more
Kindle Edition, 67 pages
Published March 25th 2011 by A Public Domain Book (first published 1880)
More Details... edit details

Friend Reviews

To see what your friends thought of this book, please sign up.

Reader Q&A

To ask other readers questions about O Mandarim, please sign up.

Be the first to ask a question about O Mandarim

This book is not yet featured on Listopia. Add this book to your favorite list »

Community Reviews

(showing 1-30)
filter  |  sort: default (?)  |  Rating Details
Isabel
"Céu e Inferno são concepções sociais para uso da plebe - e eu pertenço à classe média. Rezo, é verdade, a Nossa Senhora das Dores: porque, assim como pedi o favor do senhor doutor para passar no meu acto; assim como, para obter os meus vinte mil réis, implorei a benevolência do senhor deputado; igualmente para me subtrair à tísica, à angina, à navalha de ponta, à febre que vem da sarjeta, à casca da laranja escorregadia onde se quebra a perna, a outros males públicos, necessito de uma protecçã ...more
Margaret
Nov 26, 2015 Margaret rated it really liked it  ·  review of another edition
Uma pequena pérola do nosso querido Eça! “O Mandarim” conta-nos a história de Teodoro, empregado numa repartição pública que deseja ter uma vida mais excitante que aquela que o seu mísero salário proporciona. Um dia, num livro antigo, descobre que é possível ficar com a fortuna de um rico mandarim com um simples toque de campainha... que mata o pobre chinês! Ao encontrar uma sineta, Teodoro ousa fazer a experiência e fica rico... mas, a imagem do morto começa a persegui-lo e, para aliviar a sua ...more
Mariana
Jun 27, 2013 Mariana rated it really liked it  ·  review of another edition
Shelves: read-in-pt, mine
4,5

Mas que dizer? Adorei a história, tudo! É Eça e eu tinha imensas saudades de ler algo do autor! Ah, como fiquei consolada de ler esta pequena história.
Fernanda
excelente!
um conto sobre o poder do dinheiro e de como se pode ou não ser feliz sendo muito rico ou tentar trazer essa felicidade a outros.... uma lição de moral
Artur Coelho
May 03, 2015 Artur Coelho rated it it was amazing  ·  review of another edition
Devo começar por confessar que até agora não tinha lido este texto clássico da literatura portuguesa. Vergonhoso, bem sei, e culpo o desleixo na obrigatoriedade que tive de ler os grandes autores no liceu que me deixou traumatizado. Mesmo quando anos mais tarde os redescubro, sinto sempre aquele peso do ler por imposição e não por curiosidade e descoberta. Ridículo, eu sei, mas prefiro gastar dinheiro em livros do que em sessões de psicoterapia para resolver este trauma. Desafiado pela sessão so ...more
Raquel
Mar 26, 2014 Raquel rated it really liked it  ·  review of another edition
Li O Mandarim pela primeira vez quando tinha por volta de 13 anos como leitura obrigatória. ODIEI. Odiei tanto e provavelmente achei que nunca o iria reler - pelo menos por vontade própria. Tudo mudou quando em 2015 me apaixonei inegavelmente pela literatura do século XIX. Desde então, senti vontade de voltar a ler Eça de Queirós e como O Mandarim é o único livro do autor que tenho nas estantes decidi dar-lhe uma nova oportunidade. E como a classificação mostra, não me arrependi.

O Mandarim conta
...more
Margarida
Apr 07, 2012 Margarida rated it really liked it  ·  review of another edition
Shelves: contos
"O Mandarim", de Eça de Queirós. Um conto com a mestria de escrita a que estamos habituados por parte de Eça de Queirós.
Um homem recebe a visita do Diabo que lhe propõe um acordo: matar um mandarim chinês ao tocar numa campainha e receber toda a sua fortuna.
Este problema moral era conhecido no século XIX como o "paradoxo do mandarim". Formulado em 1802 por Chateaubriand, consistia numa pergunta: "se pudesse, com um simples desejo, matar um homem na China e herdar a sua fortuna na Europa, com a c
...more
Maikeru
This short-story called O Mandarim is about the perpetual dilemma if, lest it is possible, you would kill someone in order to gain all of her/his money.
The central character here is Teodoro who receives a book with a ring-bell that is capable of giving him all the wealth of a close-to-death mandarin in China if he taps the bell. After a persuasive discussion with a mysterious man that appeared, out of nowhere, in his house Teodoro decides to tap the bell. That's when the real story begins and Te
...more
Luís Miguel
Jun 07, 2014 Luís Miguel rated it really liked it  ·  review of another edition
Não é difícil gostar-se desta história: Um homem trata com o diabo a morte de um mandarim, herdando depois as suas riquezas ao toque de uma campainha, para ser perseguido pelo fantasma do remorso. Esta novela leva-o a viajar até ao extremo oriente da China e expor-se a uma cultura totalmente diferente. Eça presenteou os leitores do Diário de Portugal com este livro, no entanto, só o foi assim, porque ao escrever A Capital para esse efeito, cedo percebeu que estava perante material de um romance ...more
Rosa Ramôa
***
O português típico:
"As felicidades haviam de vir: e para as apressar eu fazia tudo o que devia como português e como constitucional: – pedia-as todas as noites a Nossa Senhora das Dores, e comprava décimos da lotaria".
Orcun
Apr 15, 2017 Orcun rated it it was amazing  ·  review of another edition
I read this story from English translation, "The Mandarin". It is a balanced blend of fantastical and realistic narration. The story uses supernatural elements to criticize hypocrisy, indifference and greed of middle-class. Although some passages are quite melancholic, on the whole, the narration has a quality of a long nightmare - which may represent guilty conscience of a 19th century European.
Cristina Torrão
Mar 25, 2016 Cristina Torrão rated it really liked it  ·  review of another edition
Obra marcada por uma viagem ao reino da fantasia, registo incomum em Eça, assim como a moralidade latente, mais uma surpresa deste grande escritor, que se revela filósofo, na medida em que é um pensador da condição humana e de tudo aquilo que nos move.

A nota moralista está presente logo no início, ainda antes de começar a narrativa:

«A luta pelo dinheiro é santa - porque é, no fundo, a luta pela liberdade: mas até uma certa soma. Passada ela - é a tristonha e baixa gula do ouro».

E, perto do fim,
...more
Guillermo Jiménez
Esta obra no creo que sea el mejor ejemplo para conocer a Eça de Queirós. El autor famoso por su obra naturalista, e inclusive realista, en esta entrega toma partido por el relato fantástico, por la pesadilla, no sin dejar de lado descripciones detalladas de la arquitectura y de los modos «diplomáticos» con que se mueven los funcionarios.

El relato funciona de pe a pa. El planteamiento que en apariencia no ofrece sorpresas nos depara desde las primeras páginas que no será una novela costumbrista,
...more
Luís Garcia
(lido em Chengdu, China)
Ana
Jan 12, 2017 Ana rated it liked it  ·  review of another edition
Shelves: owned
A short and sweet cautionary tale. Great writing, can be enjoyed with ease.
Álvaro Guilherme  Andrade Rocha
E a vós, homens, lego-vos apenas, sem comentários, estas palavras: "Só sabe bem o pão que dia a dia ganham as nossas mãos: nunca mates o Mandarim!"
A literatura de Eça de Queiroz sempre me atraiu, principalmente devido à sua fase realista. Ao ler O Mandarim fiquei surpreso pela dinâmica do livro, não esperava ler uma obra tão estranhamente cômica e ao mesmo tempo tão espontaneamente crítica.
Célia
O Mandarim é uma das obras de ficção curta de um dos maiores escritores portugueses de sempre, Eça de Queirós, publicada originalmente em 1880, enquanto o autor vivia em Paris. Do Eça, já tinha lido os romances mais famosos (Os Maias – que hei-de reler, O Crime do Padre Amaro e O Primo Basílio) e o livro de Contos, e gostei bastante de todos eles, pelo que foi com boas expectativas que parti para este livro.

A história é a de Teodoro, um empregado do Ministério do Reino. Levava uma vida calma, ro
...more
Luis Hiniesto
Aug 02, 2014 Luis Hiniesto rated it really liked it  ·  review of another edition
Lo primero que me ha llamado la atención de esta pequeña joya es la escritura. Nada más comenzar a leer se me ha hecho evidente una musicalidad en la composición de las frases.

Está la historia de Teodoro, a quién se le ofrece la posibilidad de hacerse inmensamente rico tocando una campanilla cuya consecuencia será la muerte de un mandarín en la lejana China. Otra vuelta de tuerca sobre el trueque con el maligno, por el que uno vende su alma y el diablo concede favores inmediatos (amorosos, sexu
...more
Zuberino
Interesting Iberian curiosity this, Eca de Queiroz being one of the more celebrated Portuguese writers of the 19th century. Three stories in this slight volume, the title story describing the adventures of one Teodoro, a humble scribe at the Ministry in Lisbon, who comes by an incredible Chinese fortune, by means even more incredible. What follows then are his peregrinations across two continents, all to placate the ghost of the Mandarin of the title. An entertaining romp, with a nice little mor ...more
Virgilio Machado
Oct 19, 2011 Virgilio Machado rated it it was amazing  ·  review of another edition
Recommends it for: Everybody, older than 13
Shelves: favorites
One of my all time favorite books.

História fantástica de autoria de Eça de Queirós que vai prender a sua atenção do começo ao fim.

Fonte: http://www.superdownloads.com.br/down...

Um romance leve, divertido, que vale a pena ser lido.

Fonte: http://www.superdownloads.com.br/down...

Nesta obra, Eça tem uma visão muito pessoal dos países orientais e da antiguidade. A sua imaginação volta a trabalhar para nos oferecer, com a sua fina ironia, uma obra rica de análise psicológica (pois retrata magistralmen
...more
Colin
Sep 04, 2016 Colin rated it really liked it  ·  review of another edition
Eça de Queiroz era um famoso autor português do século XIX. "O Mandarim" é um conto muito curto dum homem que tem a oportunidade, por circunstancias sobrenaturais e esquisitas, matar um imperador chinês e herdar as suas grandes riquezas. A história lembrou-me dos livros "Faust" (de Goethe) e "Doctor Faustus" (de Christopher Marlowe). Confesso que não percebi tudo no livro. Hei de voltar a lê-lo mais tarde quando tiver mais tempo, mas no fim, o homem fugiu duma emboscada e regressou a Portugal.
De
...more
Bic
Jun 12, 2016 Bic rated it liked it  ·  review of another edition
Shelves: kindle
[...] Tinha tomado o habito discreto de comprar na feira da Ladra antigos volumes desirmanados, e á noite, no meu quarto, repastava-me d'essas leituras curiosas. Eram sempre obras de titulos ponderosos: Galera da Innocencia, Espelho Milagroso, Tristeza dos Mal Desherdados... O typo venerando, o papel amarellado com picadas de traça, a grave encadernação freiratica, a fitinha verde marcando a pagina―encantavam-me! Depois, aquelles dizeres ingenuos em letra gorda davam uma pacificação a todo o m
...more
grimaud
Buena novela pero esperaba mas, creo que no se le saca partido a todo el potencial que tenía el argumento.(view spoiler) ...more
Ema
Aug 25, 2013 Ema rated it liked it  ·  review of another edition
Tinha este livro "perdido" na estante há tanto tempo que já não tinha vontade de o ler, mas resolvi pegar nele e dar-lhe alguma atenção. Como é um conto, lê-se relativamente rápido e, sendo Eça, lê-se com gosto. Não fiquei muito feliz com esta leitura, uma vez que estava à espera de um pouco mais, talvez de uma história mais desenvolvida (mesmo em 90 páginas). No entanto, o tema deste conto é extremamente real e atual, e foi isso que me captou à atenção no livro, para além da escrita, claro. A m ...more
monica
Jan 14, 2017 monica rated it really liked it  ·  review of another edition
Estava com saudades do Eça, meu português preferido, e achei esse livro curto dele num sebo. Vi muita gente comparando com Fausto, mas está mais para aquele filme A Caixa (o qual por sua vez foi inspirado em um episódio de TV, esse inspirado em um conto), embora no fim a inspiração original mesmo seja Chateaubriand (François René, não Assis de).
Embora haja o elemento fantástico, é uma sátira que comenta sobre a hipocrisia de todas as camadas da sociedade - desde os ignorantes do povo chinês, at
...more
Lisa
Sep 30, 2013 Lisa rated it really liked it  ·  review of another edition
Uma pequena jóia de Fausto. Mais na forma de uma alegoria do que os outros livros que tenho lido por Eça. Estudos de caráter animada repleta de Eça típico humor irônico. Ele não tem o peso dos Crimes do Padre Amaro, ainda é um conto envolvente. Um par de anise atrás, houve um filme chamado 'The Box.' De como meus filhos descreveu, ele, soava muito parecido com este. Pergunto-me e crescer curioso...
Catarina
Mar 26, 2016 Catarina rated it really liked it  ·  review of another edition
Para mim, não há muito para dizer. É Eça de Queirós, e isso diz tudo. Mesmo sendo um registo diferente daquilo que estamos habituados sempre que se fala em Eça, é um livro igualmente enriquecedor e que nos faz pensar nas consequências dos nossos actos. De leitura rápida, todavia profunda, O Mandarim devia ser sugerido aos jovens estudantes do ensino português, pois a mensagem transmitida é necessária para uma reflexão global: "Seria capaz de matar por dinheiro?"
Vasco Ribeiro
Esta edição comporta as duas versões deste conto/novela de Eça de Queirós: Uma publicada num jornal periódico, outra a versão final revista pelo Autor.
São ligeiramente diferentes, sendo a segunda mais cuidada e melhor dividida.
Como seria de esperar é um livro muito bem escrito, baseado numa ideia aproveitada da literatura Francesa.
Gostei de o ler, mas não fiquei com a sensação de que tenho de o revisitar mais tarde, ou de ser algo de imperdível, que tenho de recomendar a outros.
Maria João
Nov 05, 2010 Maria João rated it really liked it  ·  review of another edition
Ler Eça é já de si uma actividade que se avizinha sempre agradavél e garantia de entretenimento.
Mas o encanto de ler uma edição original de 1921, de Lelo & Irmão, "naquelle Portuguez" do início do século XX, eleva a experiência da leitura a um outro nível, enovelando o leitor numa escrita ainda mais sumarenta.
Branca
Apr 28, 2013 Branca rated it really liked it  ·  review of another edition
Interessante.
Representa a ganância, a vontade de ter mais e mais e mais dinheiro, que por sua vez (maioritariamente) conduz a prazeres inferiores, sendo, portanto, seguido de uma enorme vontade de desprendimento, em parte devido à lucidez ganha, que permite a constatação de quão corrupta e hipócrita é a sociedade (aumentando também a nossa solidão).
(aqui fica)
« previous 1 3 4 5 6 7 8 9 next »
There are no discussion topics on this book yet. Be the first to start one »
  • A Queda dum Anjo
  • Eurico, o presbítero
  • A Morgadinha dos Canaviais
  • Polikuchka
  • Loucura...
  • Só
  • Menina e Moça
  • O Livro de Cesário Verde
  • Novos Contos Da Montanha
  • Clepsydra: Poemas
  • O Delfim
  • Húmus
  • A Sibila
  • No Meu Peito Não Cabem Pássaros
  • Os Livros Que Devoraram O Meu Pai
  • Peregrinação
  • O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá: Uma História de Amor
  • Mau Tempo no Canal
6913270
Novelist committed to social reform who introduced Naturalism and Realism to Portugal. He is often considered to be the greatest Portuguese novelist, certainly the leading 19th-century Portuguese novelist whose fame was international. The son of a prominent magistrate, Eça de Queiroz spent his early years with relatives and was sent to boarding school at the age of five. After receiving his degree ...more
More about Eça de Queirós...

Share This Book



No trivia or quizzes yet. Add some now »

“Desde então uma saciedade enervante mantem-me semanas inteiras n'um sophá, mudo e soturno, pensando na felicidade do não-ser...” 0 likes
“As felicidades haviam de vir: e para as apressar eu fazia tudo o que devia como português e como constitucional: - pedia-as todas as noites a Nossa Senhora das Dores, e comprava décimos da lotaria.” 0 likes
More quotes…